Auditores fiscais do trabalho interditam máquinas em fábrica do grupo Hypermarcas

Ação de fiscalização foi realizada após denúncias de funcionários

Postado em: 16-09-2016 às 17h50
Por: Toni Nascimento
Ação de fiscalização foi realizada após denúncias de funcionários


Dezoito máquinas foram interditadas na Cosmed, uma fábrica de fraldas descartáveis em Senador Canedo do Grupo Hypermarcas, nesta sexta-feira (16) pela Auditoria Fiscal do Trabalho da Superintendência Regional do Trabalho e Emprego de Goiás (SRTE-GO). As interdições aconteceram após o recebimento de várias denúncias sobre acidente de trabalho registrado na fábrica.

Quatro auditores fiscais e um procurador do Ministério Público do Trabalho integraram a equipe de fiscalização. Com as interdições, todas as atividades de produção ficam paralisadas até que tudo seja regularizado. 

Responsável pela coordenação da ação, o auditor fiscal do trabalho Roberto Mendes ressalta que as denúncias dos trabalhadores foram registradas tanto no Ministério do Trabalho, quanto no Ministério Público do Trabalho. "Constatamos que as 18 máquinas estavam operando em condições de risco, uma vez que não dispunham de sistemas de segurança adequados em suas zonas de perigo”, explica Roberto. 

Continua após a publicidade

A empresa alvo da ação, que tem em seu quadro mais de 900 funcionários, conta com um histórico extenso de ocorrências relacionadas a acidentes de trabalho. Em 2014, inclusive, um servidor perdeu três dedos da mão direita ao exercer suas funções. "Há outros casos de trabalhadores que fraturam, cortaram ou mesmo tiveram as mãos ou os dedos decepados pelas máquinas", lembra o auditor fiscal. 

Roberto Mendes explica que, para voltar a funcionar, a empresa terá que se adequar às normas de segurança do trabalho, instalando e adequando os sistemas de proteção nas zonas de perigo das máquinas (eixos, engrenagens, cilindros, entre outros). Segundo informaram representantes da própria empresa, o custo para a adequação das máquinas será de aproximadamente R$ 7 milhões.

Além da penalidade de interdição, a empresa receberá dezenas de autos de infração por descumprimento das normas de segurança e saúde no trabalho e por colocar em risco a saúde e a integridade física de seus trabalhadores
 
(Aafitego)

Veja Também