Mil árvores caíram neste ano em Goiânia

Ontem (13), um galho de aproximadamente 12 metros de uma Sibipiruna atingiu dois carros na Praça Tamandaré. Trabalho preventivo da Comurg e Amma evita alto número de quedas

Postado em: 14-10-2016 às 06h00
Por: Sheyla Sousa
Ontem (13), um galho de aproximadamente 12 metros de uma Sibipiruna atingiu dois carros na Praça Tamandaré. Trabalho preventivo da Comurg e Amma evita alto número de quedas

Mais de mil árvores caíram neste ano em Goiânia por motivos diversos, como a ação do vento e da chuva e cupins. Uma destas quedas aconteceu na tarde de ontem (13) na Praça Tamandaré, quando um dos galhos de aproximadamente 12 metros de uma Sibipiruna atingiu dois carros que estavam estacionados no acostamento da praça. O dono de um dos veículos é o engenheiro agrônomo Aluízio Leopoldino de Andrade, 59. Ele foi a um supermercado próximo ao local e estacionou o carro na praça.
Aluízio conta que ficou poucos minutos no estabelecimento e quando voltou o galho estava em cima de seu carro. “Algumas pessoas que estavam no lugar na hora da queda chamaram uma equipe da prefeitura. Eles demoraram cerca de uma hora para chegarl”, conta o engenheiro. Aluízio afirma que não pretende pedir ressarcimento do prejuízo, de cerca de R$ 1.500, à prefeitura. “É um processo muito burocrático. Não vale o desgaste. Mas agora vou prestar mais atenção na hora de estacionar, alguns funcionários da prefeitura falaram que pode existir o mesmo problema em árvores vizinhas a que caiu hoje”, afirma.
De acordo com o presidente da Companhia de Urbanização de Goiânia (Comurg), Edilberto Dias, apenas neste ano as equipes do órgão realizaram mais de 20 mil podas. “Em um universo de mais de um milhão de árvores em locais públicos em Goiânia, percebemos que nosso trabalho preventivo de poda e monitoramento é eficaz, pois apenas mil caíram”, afirma Dias.
Em relação à árvore caída na Praça Tamandaré ontem, Dias explica que não é possível monitorar todas elas. “Não tínhamos conhecimento de que havia algum problema com a Sibipiruna. Às vezes, a planta parece saudável na vistoria, mas na verdade não está”, diz o presidente. Além das podas em local público, a Comurg retirou mil árvores condenadas em processos abertos por particulares na Agência Municipal do Meio Ambiente (Amma).

Cidadão pode pedir vistoria de árvores à Amma
A retirada das árvores é responsabilidade da Comurg, mas cabe à Amma fazer o monitoramento. Em casos de árvores em áreas privadas, o proprietário precisa abrir um processo – na própria sede da agência ou em um dos postos do Vapt Vupt – para solicitar a vistoria. Conforme a condição verificada pela equipe da Amma, a Comurg pode ser acionada para realizar a poda. 
“Quando as árvores estão em área pública, qualquer cidadão pode pedir a vistoria por meio de uma denúncia. Fazemos controles de rotina, mas não conseguimos monitorar todas as árvores de Goiânia. Por isso, precisamos da ajuda da população”, afirma a gerente de arborização da Amma, Jarina Machado. A gerente explica ainda que em caso de chuvas, mesmo árvores saudáveis podem ceder devido à força do vento, “por isso é tão difícil evitar todas as quedas, mesmo com trabalho preventivo”. No caso da árvore caída na Praça Tamandaré, a Amma informou que não recebeu denúncia alguma sobre problemas na árvore. 
 

Veja Também