Aedes aegypti: multas já passam de 200 ocorrências

Mesmo depois de anos de alertas, agentes continuam encontrando larvas do mosquito em locais clássicos, como pratos de plantas

Postado em: 15-10-2016 às 06h00
Por: Redação
Mesmo depois de anos de alertas, agentes continuam encontrando larvas do mosquito em locais clássicos, como pratos de plantas

Mais de 200 proprietários de residências, estabelecimentos comerciais e responsáveis por construções de Goiânia foram multados neste ano por não tomarem providência em relação a focos e criadouros do mosquito Aedes aegypti, encontrados nestes locais por agentes de endemias. A maior parte dos focos foi identificada em construções. Os dados são da Secretaria Municipal de Saúde (SMS).
O diretor de Vigilância em Zoonoses da SMS, Gildo Felipe de Paula, explica que antes da aplicação da multa, os proprietários são notificados pelos próprios agentes de endemias sobre a necessidade de eliminar focos e criadouros do mosquito. A próxima visita ao local é realizada por um dos 13 fiscais do departamento. Se o mesmo problema for encontrado, a multa é aplicada. O valor varia entre R$ 2 mil, R$ 4 mil e R$ 16 mil, de acordo com a gravidade, reincidência e tipo de local.
A lei que aumentou o valor deste tipo de multa em Goiânia foi aprovada em segunda votação no fim do ano passado pela Câmara Municipal. A norma prevê ainda que em comércios e empresas, caso os focos do mosquito sejam reincidentes, pode haver até interdição do estabelecimento. A lei também autoriza abertura, fechamento e limpeza de imóveis desocupados ou abandonados que favorecem a proliferação do mosquito Aedes aegypti, com ônus para o proprietário. Está prevista penalidade de multa de R$ 4 mil para quem tentar impedir a entrada dos agentes ou fiscais nos imóveis.

Problemas
Para Gildo, a população está mais consciente em relação à necessidade de combater o mosquito – que é transmissor dos vírus da dengue, zika, febre amarela e chikungunya -, mas o apoio ainda precisa ser maior. “Para vencer essa guerra a população precisa fazer sua parte e eliminar todo o tipo de criadouro possível. Existem locais clássicos, como pratos de plantas e reservatório de água para animais, onde continuamos encontrando larvas do Aedes aegypti, mesmo depois de tantos alertas e campanhas”, lamenta o diretor. 

15 locais são notificados 
A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) intensificou durante essa semana ação de controle em pontos estratégicos de proliferação do Aedes aegypti espalhados por Goiânia. Até a tarde de sexta-feira (14), 150 locais foram visitados pelos agentes de endemias; foram encontrados focos e/ou criadouros do mosquito em 15 deles. Os chamados pontos estratégicos são ambientes com grande concentração de recipientes propícios para que a fêmea do mosquito deposite seus ovos, como cemitérios, borracharias, ferros-velho e depósitos de materiais recicláveis.
De acordo com o diretor de Vigilância em Zoonoses da SMS, Gildo Felipe de Paula, os fiscais do departamento voltarão aos locais na segunda-feira (17). 

Veja Também