Regiões com altos focos do Aedes são alvo de ação

Setor Jaó, na Região Norte da Capital, é o que possui maior índice de infestação do mosquito em Goiânia

Postado em: 02-11-2016 às 06h00
Por: Redação
Setor Jaó, na Região Norte da Capital, é o que possui maior índice de infestação do mosquito em Goiânia

Depois de intensificar a fiscalização em pontos estratégicos de proliferação do mosquito Aedes aegypti em Goiânia, as regiões onde os focos do mosquito continuam altos são os novos alvos de ação especial da Secretaria Municipal de Saúde (SMS). A superintendente de Vigilância em Saúde da (SMS), Flúvia Amorim, afirma que a ação ocorrerá concomitantemente nos bairros com os maiores índices de infestação. 
No Setor Jaó, na região Norte da Capital, por exemplo, a fiscalização será intensa porque registrou o valor mais alto de infestação, 2,83%. Isso significa que de cem imóveis visitados pelos agentes de endemias, foram encontrados focos do Aedes aegypti em quase três. O Corpo de Bombeiros e a Secretaria Estadual de Saúde são parceiros das atividades.
Flúvia explica que a alta quantidade de focos no setor é decorrente da falta de cuidado dos moradores. “Os principais recipientes em que encontramos focos de larvas do Aedes aegypti foram em vasos de plantas, piscinas e vasos sanitários”, afirma a superintendente. De acordo com Flúvia, isso acontece porque existe no setor a concentração de casas muito grandes, com muitos banheiros. Na maioria das vezes, diz Flúvia, nem todos são usados com frequência e os moradores se esquecem de tomar os cuidados necessários.
Ainda segundo a superintendente, 640 profissionais trabalham na ação. A atribuição deles é inspecionar imóveis, orientar os moradores e remover os focos encontrados. Se necessário, os fiscais da SMS poderão notificar e autuar proprietários dos locais que mantém criadouros com ou sem focos. A ação começou na terça (1º) e é motivada pelo início do período chuvoso. O trabalho intensificado deve terminar apenas com o fim da época de chuva.

Goiânia atinge menor índice de infestação já registrado

Em Goiânia, o índice de infestação do Aedes aegypti é de 0,95%, ou seja, de cada cem imóveis visitados pelos agentes de endemias, a média em que foram encontrados focos do mosquito é menor que um. O número é o menor já registrado pela SMS e considerado pelo Ministério da Saúde como satisfatório. Mesmo assim, a grande extensão territorial da Capital mostra realidades distintas nas diversas regiões do município. 
A superintendente de Vigilância em Saúde da (SMS), Flúvia Amorim, avalia que a ação iniciada nesta semana é importante para manter a população do município alerta sobre a necessidade de continuar cuidando de seus imóveis para evitar a proliferação do Aedes aegypti. “Não é porque atingimos o baixo índice de 0,95% que o problema acabou ou está sob controle”, afirma. 
A preocupação da SMS é com o possível aumento do índice de infestação com o início das chuvas, o que pode levar a elevação no número de casos de dengue, zika e chikungunya. “A Chikungunya é hoje nossa principal preocupação devido à confirmação de casos transmitidos em nosso próprio município”, destaca Flúvia Amorim.

Veja Também