Nova remessa não deve resolver déficit de vacinas

Postado em: 18-06-2021 às 08h01
Por: Daniell Alves
SES deve realizar nivelamento de distribuição para os municípios com baixos índices de vacinação | Foto: Reprodução

A chegada de uma nova remessa de vacinas contra a Covid-19 não deve acabar com o problema da falta de doses nos municípios do interior. Isto porque algumas cidades chegam a receber de 20 a 30 imunizantes e terminam a vacinação em cerca de dois dias, de acordo com o Conselho de Secretarias Municipais de Saúde do Estado de Goiás (Consems-GO). O governador Ronaldo Caiado anunciou novo lote de 122 mil doses, que serão distribuídas nos municípios goianos.

Segundo a presidente do Consems, Verônica Savatin, a distribuição de doses é feita com base no último censo do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), de 2010. Isto dificulta o mapeamento já que a realidade à época era completamente diferente. Por este motivo, explica ela, há desigualdade no número de vacinação em algumas cidades.

Em nota, a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) da Capital esclarece que para que a estratégia do final de semana seja criada, é necessário aguardar a quantidade de doses que serão aplicadas hoje, bem como o recebimento de novas vacinas por parte do Ministério da Saúde. “Só assim será possível verificar a possibilidade de continuar o processo de vacinação neste final de semana”, diz.

Já a Secretaria de Saúde do Estado (SES) e o Conselho têm trabalhado no sentido de fazer com que, nas próximas remessas, haja um nivelamento de doses para os municípios que estão abaixo de 50% de cobertura vacinal. “Para que assim todos os municípios possam estar caminhando da mesma forma”, informa Veronica.

Pfizer e Coronavac

Ontem (17), o governador Ronaldo Caiado anunciou, em sua conta no Twitter, a chegada a Goiás de mais 122.140 doses de vacinas contra Covid-19. Estavam previstas para esta madrugada 72.540 vacinas da Pzifer desembarcam no Estado. Ainda na mesma manhã, 49.600 vacinas Coronavac também chegam por aqui. As vacinas do laboratório Pzifer serão utilizadas para aplicação de 1ª dose. Já as 49.600 Coronavac, para 1ª e 2ª doses.  

Além disso, o governador anunciou que, até setembro, a previsão é que toda faixa etária acima de 18 anos esteja vacinada. “Acreditamos que vamos rapidamente avançar na faixa etária e poderemos chegar ao mês de setembro com maior tranquilidade, com toda faixa acima de 18 anos 100% vacinada”, garantiu.

Com relação à estimativa apontada pelo governador, a presidente do Conselho diz que é possível. “Se nós tivermos regularidade de doses semanalmente acredito que conseguiremos chegar nesse quantitativo no final de setembro”, avalia. 

Goiânia 

Caso as doses não acabem, a SMS continua aplicando a primeira dose no público geral com 52 anos ou mais, no Shopping Passeio das Águas, das 8 às 15 horas, sem necessidade de agendamento. Já as pessoas com comorbidades e deficiências, trabalhadores da saúde e da educação do ensino infantil, fundamental e médio, serão atendidas em nove unidades de saúde, das 9 às 16 h, por meio do agendamento no aplicativo Prefeitura 24 horas. Ao todo foram disponibilizadas menos de quatro mil doses de vacinas, que é o estoque restante existente em Goiânia para a primeira dose.

Também foi retomada a vacinação das gestantes sem comorbidades. A ação ocorre na Área-I da PUC Goiás, das 8 às 16 horas. Na hora de se vacinar, a grávida precisa apresentar um comprovante de gestação, além do comprovante de endereço de Goiânia. Não há necessidade de agendamento.

Sem doses

Conforme divulgou o jornal O Hoje na edição desta quinta-feira (17) cerca de 80% dos municípios do interior já estão sem doses de vacinas contra a Covid-19 há alguns dias. Por isso, grande parte deles teve que interromper a vacinação, a exemplo de Goianésia, Caldas Novas e Rio Verde. 

Em Goianésia, a administração municipal informou que a vacinação está temporariamente suspensa. A imunização será imediatamente retomada assim que novas doses chegarem ao município. (Especial para O Hoje)

Compartilhe: