Ação da Rotam marca 16º dia de caça à Lázaro

Postado em: 24-06-2021 às 08h06
SSP e PM negam saída da Rotam da Operação | Foto: Reprodução

A força-tarefa que busca capturar o fugitivo Lázaro Barbosa Sousa, suspeito de cometer um quádruplo homicídio em Ceilândia, no Distrito Federal, além de outros crimes em Goiás, chega ao décimo sexto dia hoje (24) ainda sem desfecho e com rumores de desentendimentos entre as forças armadas envolvidas. Um destes rumores é de que a Rondas Ostensivas Táticas Metropolitana (Rotam), considerada uma das unidades mais preparadas da Polícia Militar de Goiás, teria deixado de participar das buscas pelo fugitivo.

A informação, entretanto, segundo apurou a reportagem de O Hoje, não procede. Tanto a Secretaria de Segurança Pública do Estado de Goiás (SSP-GO) quanto a Polícia Militar do Estado de Goiás (PM-GO), afirmaram que a Rotam continua auxiliando nas buscas. Por telefone, a PM-GO pontuou ainda que os rumores de desentendimentos entre as equipes vêm sendo falados já há alguns dias, mas que não se aplicam à situação.

Em nota, o Comando Geral da Polícia Militar informou que, a propósito do questionamento sobre a participação do Batalhão da Rotam na operação para captura de Lázaro Barbosa Sousa, as Equipes do Batalhão da Rotam estão compondo as ações estratégicas que objetivam garantir a paz da população da região e capturar o fugitivo. A especializada foi redirecionada para sua atividade fim, que é o patrulhamento urbano da região, e que, a respeito do conteúdo de um áudio, questionado o Comando Geral da Polícia Militar, informa que está sendo apurado.

3.800 denúncias

Com o objetivo de contribuir com a operação de captura a Lázaro Barbosa Sousa, foi colocado à disposição da força-tarefa, de forma exclusiva e gratuita, o aplicativo Brasil Mais Seguro. A ferramenta tem a capacidade de receber a denúncia dos moradores da região e identificar a localização do denunciante, por meio da tecnologia de georreferenciamento. O aplicativo irá auxiliar diretamente na operacionalidade da checagem das informações repassadas.

“A pessoa vai baixar esse aplicativo no seu celular e a partir do momento em que ela aciona o alerta, seja localização ou texto, essa informação já chega georreferenciada para nós. Tendo o ponto exato, vamos administrar a parte operacional para ver qual recurso nós empregaremos, se vai ser um helicóptero ou alguma equipe terrestre, para fazer uma averiguação mais exata e em tempo mais célere”, explica o Tenente Coronel da Polícia Militar de Goiás, Pedro Henrique Batista.

A cobertura tecnológica atende demandas em um raio de até 100 quilômetros. O filtro aplicado tem como objetivo diminuir a quantidade de trotes e notícias falsas sobre o paradeiro do fugitivo. A ferramenta irá somar às ações que já vêm sendo realizadas pela força-tarefa, que inclui a criação de um disque denúncia específico para a operação. Segundo a delegada da Polícia Civil, Paula Meotti, até o momento, 3.800 denúncias foram registradas. Entretanto, a maior parte delas não contém informações relevantes para o trabalho policial.

Crimes

Lázaro Barbosa Sousa é suspeito de cometer um quádruplo latrocínio em Ceilândia, no DF, além dos crimes em Goiás. Nos últimos dias, o indivíduo invadiu propriedades rurais da região do entorno, fez três pessoas reféns e baleou outras quatro, entre elas, um policial militar. O PM, que foi atingido de raspão, chegou a ser levado ao Hospital de Urgências de Anápolis (Huana), mas já está em casa. O indivíduo já possui uma condenação por homicídio, no Estado da Bahia e é também procurado no DF e em Goiás por crimes de roubo, estupro e porte ilegal de arma de fogo. (Especial para O Hoje)

Por: Maiara Dal Bosco
Compartilhe: