PCGO prende em Aparecida o maior receptador de cargas roubadas no Estado

Postado em: 24-06-2021 às 10h16
A polícia apreendeu em galpão do empresário aços e ferragens avaliados em mais de R$ 20 milhões | Foto: PCGO

Um empresário foi preso nessa quarta-feira (24/06), em Aparecida de Goiânia, acusado de ser o maior receptador de cargas roubadas em Goiás. A Polícia Civil de Goiás (PCGO), por meio da Delegacia Estadual de Repressão a Furtos e Roubos de Cargas (Decar), e com auxílio da Secretaria Estadual da Economia, deflagrou a Operação Fogo Amigo.

A polícia informou que foram apreendidas, durante a ação, mais de R$ 20 milhões em cargas de aços e ferragens em um galpão na cidade, de propriedade do acusado. Ele deve responder pelos crimes de receptação, organização criminosa e por lavagem de dinheiro.

Segundo a PCGO, as investigações duraram seis meses. Inicialmente, o aumento dos casos de furtos de aço vindos do Maranhão, Minas Gerais e Pará levantou a suspeita da polícia. Durante as apurações, ficou constada que uma organização criminosa se utilizava do aplicativo Fretebrás e outras plataformas para a realização de negócios jurídicos envolvendo o transporte de ferro e aço.

No esquema, foram envolvidos motoristas, suspeitos de terem ligações com o grupo criminoso. Eles faziam o carregamento e desviavam a rota estabelecida e entregavam o produto a receptadores. Dentre os quais, os empresários do ramo de compra e venda dos produtos com sede comercial no Estado.

Organização

A polícia destacou que toda a estrutura comercial da organização criminosa em Goiás foi desarticulada. Além do aço e ferragem, os investigadores apreenderam três veículos de luxo, dois caminhões. E as vítimas do grupo foram localizadas.

A Decar identificou a participação de 15 motoristas no esquema. Já as cargas recuperadas serão devolvidas aos proprietários. Os envolvidos foram ainda multados em mais de R$ 2 milhões por autuações tributárias da Secretaria da Economia.



NOTA OFICIAL DA FRETEBRAS

  • A FreteBras é, atualmente, a maior plataforma de transporte de cargas da América Latina, que conecta caminhoneiros e transportadoras na busca e negociação de fretes. Nós acompanhamos diariamente as ocorrências de motoristas suspeitos na plataforma e estamos constantemente preocupados e engajados em proteger as empresas que usam a FreteBras para buscar e negociar com caminhoneiros.
  • Em relação a matéria publicada sobre a ‘Operação Fogo Amigo’, reconhecemos e agradecemos os esforços dos Policiais da Delegacia Estadual de Repressão a Furtos e Roubos de Cargas (Decar). Além disso, a FreteBras se solidariza com as vítimas e fica à disposição para quaisquer esclarecimentos e apoio nas investigações.
  • Durante o ano de 2021, a FreteBras investirá R$ 30 milhões em iniciativas de segurança para apoiar todo o setor de transporte rodoviário de cargas. Este investimento será destinado à melhorias no produto, contratação de tecnologia de ponta, aumento da equipe de prevenção à fraude, lançamento de novos produtos com foco em segurança e ações educativas, tanto para transportadoras como para caminhoneiros.
  • Este ano, o time de gestão de riscos da FreteBras analisou 130 mil fretes e mais de 300 sinistros no que se configura como o estudo mais amplo sobre sinistros de cargas jamais executado no Brasil. O levantamento serviu como base para a criação de seu novo produto, a FreteBras Risk, uma gerenciadora de riscos que usa inteligência artificial para analisar, em bases públicas e proprietárias, o histórico do caminhoneiro, do veículo e de seus proprietários e faz um cruzamento com os tipos de carga e seus respectivos valores de mercado para recomendar quais motoristas estão aptos a realizar determinados tipos de fretes.
  • Além da gerenciadora de riscos própria que lançamos, fizemos o fechamento da plataforma para que apenas caminhoneiros validados passassem a ter acesso às cargas, criamos um sistema de avaliação para que empresas e caminhoneiros possam se avaliar após um frete e temos um compromisso de validar nossa base inteira de caminhoneiros em nossa gerenciadora de risco até o final deste ano. 
  • É importante ressaltar que com base em nossas análises e levantamentos, do total de 6 milhões de fretes publicados em nossa plataforma, em 2020, apenas 0,42% tiveram algum tipo de fraude que gerou um impacto financeiro para os envolvidos. Ainda não estamos satisfeitos, esse volume tem que ser zerado.
  • O roubo de cargas no Brasil, apesar de ter reduzido 23% em 2020, segundo estudo realizado pela NTC&Logística, ainda representa R$ 1,2 bilhão em prejuízos anuais. É uma questão sistêmica do Brasil que estamos fortemente engajados e comprometidos a ajudar a resolver.
Por: Nielton Soares
Compartilhe: