Segunda-feira, 22 de julho de 2024

Número de mortos em rodovias federais aumenta 11% em Goiás

A quantidade de acidentes também registrou alta. Apenas os números feridos apresentou queda

Postado em: 19-07-2021 às 08h07
Por: Maiara Dal Bosco
Imagem Ilustrando a Notícia: Número de mortos em rodovias federais aumenta 11% em Goiás
A quantidade de acidentes também registrou alta. Apenas os números feridos apresentou queda | Foto: Reprodução

O número de mortes nas rodovias federais que passam por Goiás aumentou 11,69% nos seis primeiros meses de 2021. De janeiro a junho, foram 86 mortes, enquanto no mesmo período do ano passado foram registrados 77 óbitos. O número de acidentes também aumentou 6%: 1.056 ocorridos em 2021 ante 995 que foram registrados no ano passado. Apesar dos números negativos, a quantidade de feridos caiu de um ano para outro. Em 2020, foram 1.180 pessoas que se feriram em acidente nas rodovias e, em 2021, foram 1.126. 

Os flagrantes de infrações de trânsito nos primeiros seis meses de 2021 também registraram aumento se comparados com os mesmos meses do ano passado. Ao todo, são 70.403 registros em 2021 contra 68.281 em 2020. As ultrapassagens em local proibido tiveram aumento de 65,51%. Foram 9.381 em 2021 e 5.668 em 2020. Outro dado que praticamente dobrou foi o manuseio de celular, infração gravíssima e que gera sete pontos anotados na carteira. Entre janeiro a junho de 2020, foram 1.281 flagrantes nas rodovias. Já em 2021, no mesmo período, foram 2.190 registros. Com aumento menos expressivo, as infrações em decorrência da falta do uso do cinto de segurança, seja de condutores ou passageiros, subiu de 5.556 em 2020 para 5.972 em 2021.  

Já as infrações pela falta do uso de cadeirinha e em decorrência do álcool ou substâncias psicoativas, registraram queda no comparativo. Com relação à cadeirinha, foram 319 registros em 2021, sendo que 2020 registrou 401 flagrantes. As infrações decorrentes do uso de álcool ou substâncias psicoativas nas rodovias federais em Goiás foram 560 em 2021, 47,32% a menos do que em 2020, quando foram registradas 825 autuações. No mês passado, a Lei n° 11.705 de 2008, que ficou conhecida como Lei Seca, completou 13 anos. Desde que entrou em vigor, ela já ajudou a salvar milhares de vidas no trânsito brasileiro, por isso é uma das prioridades nas fiscalizações da Polícia Rodoviária Federal (PRF). O Código de Trânsito Brasileiro (CTB) estabelece limite zero para o consumo de álcool pelos motoristas e impõe penalidades severas para quem infringe a norma.

Continua após a publicidade

Operação Férias

Desde o começo deste mês, tradicional período de férias escolares e viagens em família, a Polícia Rodoviária Federal concentra os esforços de fiscalização nos trechos de acesso a destinos turísticos em Goiás. Denominada Operação Férias, as ações deste período terão foco de atenção nas irregularidades cometidas por motoristas que potencializam a ocorrência de acidentes graves. O mês de julho em Goiás é período de início da estiagem, o que favorece o aparecimento de focos de incêndio às margens da rodovia, prejudicando a visibilidade de quem trafega e ainda tem como consequência o atropelamento de animais silvestres, que cruzam a pista durante a fuga das queimadas.

Outra preocupação da PRF no período é o uso de álcool antes de pegar a direção. É comum familiares e amigos viajarem, passarem o dia em balneários, outros procuram a região do Araguaia e Serra da Mesa para se reunirem e abusarem do álcool, na perigosa mistura com a condução de veículos. Nos últimos 4 anos, somente nos meses de julho, 530 motoristas foram flagrados pela PRF dirigindo alcoolizados nas BRs goianas.

Por ser um mês típico de viagens em família, os policiais alertam para os cuidados no transporte com as crianças: todas devem estar nos equipamentos de retenção adequados à idade. Ademais, todos os ocupantes do veículo devem usar o cinto de segurança e o carro deve transportar somente a capacidade máxima de pessoas que suporta. Excesso de lotação é outra infração à qual os agentes estarão atentos. Os policiais rodoviários federais estarão em pontos estratégicos das rodovias que cortam o Estado, com o objetivo de prevenir acidentes, combater crimes e reduzir a violência no trânsito.  De 2017 a 2020, os meses de julho somaram 811 acidentes, 932 feridos e 79 mortes nas rodovias federais que passam por Goiás.

Lei Seca

De acordo com o artigo 165 do Código de Trânsito Brasileiro (CTB), o condutor flagrado dirigindo sob a influência de álcool ou de qualquer outra substância psicoativa que determine dependência comete uma infração gravíssima. Nos últimos anos, a Lei Seca tem reduzido a tolerância para quantidade de álcool no organismo.

A multa gravíssima é de R$ 293,47, mas este valor pode ser multiplicado por 10, chegando a R$ 2.934,70. Além da punição no bolso, o motorista tem a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) recolhida e responde a um processo administrativo que leva a suspensão do direito de dirigir por 12 meses – depois de todos os recursos possíveis. O veículo também é retido até que um outro condutor habilitado se apresente. Em qualquer caso de autuação, o motorista pode verificar a validade do registro da infração. A contestação das penalidades aplicadas é direito de todo motorista, independentemente da gravidade da infração cometida. (Especial para O Hoje).

Veja Também