Após protestos de 7 de setembro, caminhoneiros fazem bloqueios em diversos trechos de rodovias em Goiás

Protestos ocorrem em Itumbiara, Porangatu e Santa Rita do Araguaia; faixas estão liberadas para carros de passeio, cargas perecíveis e transporte de passageiros.

Postado em: 08-09-2021 às 18h13
Por: Daniell Alves
Protestos ocorrem em Itumbiara, Porangatu e Santa Rita do Araguaia; faixas estão liberadas para carros de passeio, cargas perecíveis e transporte de passageiros. | Foto: Reprodução

A Polícia Rodoviária Federal de Goiás (PRF-GO) monitora manifestações de caminhoneiros em diferentes municípios goianos. Os protestos estão ocorrendo desde a manhã desta quarta-feira (08/09), com alguns trechos de rodovias sendo interditadas.

Em Itumbiara, na região sul do estado, caminhões bloquearam parcialmente a BR-153, com faixas liberadas apenas para carros de passeio, cargas perecíveis e transporte de passageiros.

Em Porangatu, também na BR-153, veículos de carga fizeram bloqueio parcial em ambos os sentidos da via. Em Mineiros, na BR-364, a pista havia sido bloqueada, mas já se encontra liberada.

Continua após a publicidade

Na GO-020, sentido Bela Vista/Goiânia, um caminhão carregado de pneus foi despejado na via. Na região sudoeste do estado, em Santa Rita do Araguaia, manifestantes chegaram a bloquear parcialmente a rodovia, mas no momento o trânsito flui normalmente, sem interdições. Com a liberação para tráfego de carros de passeio, cargas vivas e passageiros. Os protestos não afetaram o escoamento de produtos agrícolas como grãos, disse a Associação Nacional dos Exportadores de Cereais (Anec), por meio da assessoria de imprensa.

Em nota, o Ministério da Infraestrutura informou que a PRF estava em todos os locais identificados e trabalhava pela garantia do livre fluxo.  Ainda segundo a nota, não há coordenação de qualquer entidade setorial do transporte rodoviário de cargas “e a composição das mobilizações é heterogênea, não se limitando a demandas ligadas à categoria”. Ao todo, diz o ministério, foram registradas 56 ocorrências com concentração de populares e tentativas debeladas de bloqueio total ou parcial de rodovias.

Independentes

Parte dos motoristas independentes decidiram aderir, mesmo sem apoio formal de entidades. De acordo com o Painel S.A, líderes da categoria que costumam atuar em mobilizações não acreditam que possa ocorrer uma nova paralisação nesta semana. Eles alegam que as pautas defendidas nos protestos não diziam respeito aos pleitos do grupo, não gerando incentivo à adesão.

Em Santa Catarina, às 14h15 de ontem, a PRF informou que havia bloqueio de caminhões na BR-101 em Garuva, Joinville, Araquari, Itajaí e São João do Sul; na BR-280 em São Francisco do Sul, Guaramirim, São Bento do Sul e Canoinhas; na BR-116 em Mafra e Santa Cecília; e na BR 470 em Navegantes.

No Paraná, eram pontos de interdição na BR-376 em Paranavaí e Maringá. Segundo a PRF, estavam sendo retidos apenas veículos de carga, enquanto veículos de passageiros e cargas perecíveis estão sendo liberados pelos manifestantes.

Já no Espírito Santo, caminhoneiros fizeram bloqueios na BR-101 em Linhares (tráfego lento), João Neiva, Viana, Iconha e Itapemirim; na BR-262 em Viana e Ibatiba; na BR-447 em Vila Velha.

Na Bahia, os caminhoneiros fizeram manifestação em dois pontos na BR-242, na saída de Luís Eduardo Magalhães, em direção a Barreiras; e na saída de Barreiras rumo a Salvador. Nos trechos, conforme a PRF, só cargas perecíveis e veículos pequenos eram liberados.

O conflito do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) com o Supremo Tribunal Federal (STF) tem apoio dos caminhoneiros. São três ações diretas de inconstitucionalidade propostas por ruralistas e transportadoras que não foram julgadas pela corte. A categoria também questiona a política nacional de piso mínimo, implementada por lei durante o governo de Michel Temes (MDB).

Colaborou Ícaro Gonçalvez

Veja Também