Em ação por nepotismo, Ministério Público pede bloqueio de R$ 5,5 milhões de ex-prefeito de Luziânia

Postado em: 09-09-2021 às 15h13
Por: Alice Orth
Também são investigados a ex-vereadora Jaqueline Aparecida dos Santos Cristóvão, sua mãe e duas irmãs. | Foto: Reprodução

O ex-prefeito de Luziânia, Cristóvão Vaz Tormin, se tornou alvo de mais uma ação civil pública proposta pelo Ministério Público de Goiás (MP-GO). Ele já é investigado por nepotismo. Desta vez, foi requisitado o bloqueio de bens no valor total de R$ 5.580.097,49.

A soma é resultado de todas as contratações em que ele é suspeito de ter direcionado pessoas próximas. Junto com ele, são investigados por improbidade administrativa a ex-vereadora Jaqueline Aparecida dos Santos Cristóvão; sua mãe, Agostinha Aparecida Gonçalves dos Santos, e suas irmãs, Juceli Aparecida dos Santos Tavares e Janaína Aparecida dos Santos.

A ex-vereadora Jaqueline Aparecida é servidora efetiva do Estado, ocupando o cargo de Professor IV e, por ser aliada do ex-prefeito, teria o influenciado para nomear familiares a Secretaria Municipal de Educação. Os cargos teriam favorecido a mãe e duas irmãs da política.

De acordo com a 6ª Promotoria de Justiça de Luziânia, foi constatada a ocorrência de mais de cem casos de nepotismo, envolvendo o ex-prefeito, ex-vereadores e ex-secretários municipais.

Compartilhe: