Animais do zoológico de Goiânia ganham picolés para enfrentar onda de calor

Postado em: 15-09-2021 às 11h49
Por: Ícaro Gonçalves
Um dos premiados foi o urso Robinho, que tem ao seu dispor uma piscina de 18 mil litros de água e muitos picolés | Foto: Divulgação/ Prefeitura de Goiânia

Com as altas temperaturas e umidade relativa do ar de Goiânia chegando a níveis equiparáveis aos de desertos ao redor do mundo, os veterinários do Zoológico de Goiânia preparam picolés de frutas e carne para os 479 animais e 120 espécies que vivem no local. A previsão é de que a capital enfrente calor de até 38°C nesta quarta-feira (15).

De acordo com o presidente da Agência Municipal de Turismo e Lazer de Goiânia (Agetul), Valdery Junior, os recintos dos bichos também contam com aspersores de água, que funcionam até cinco horas por dia. “Nesse período de intenso calor, os bichos tendem a procurar um lugar mais fresco e com mais umidade. Por isso, os picolés ajudam a regular a temperatura corporal, além de divertir e distrair”, disse.

Um dos premiados foi o urso Robinho, que possui um ambiente próprio de 650 m² e tem ao seu dispor uma piscina de 18 mil litros de água e muitos picolés. “O objetivo é oferecer não só para o Robinho, mas a todos os animais, alimentos em apresentações diferentes para estimular os sentidos e fazer com que eles interajam com o ambiente. No calor, os picolés têm sido oferecidos com uma frequência maior. E no caso do Robinho cada picolé tem, em média, 1 kg”, explica o presidente.

Os picolés são um complemento na alimentação diária dos bichos e há tipos específicos para cada espécie. “Os primatas, como os macacos, ganham gelados com frutas, castanhas e mel. Os carnívoros podem ganhar, além destes, picolés de carne. A gente varia para não ficar enjoativo”, falou Valdery Junior.

Compartilhe: