Homem que estuprou e manteve criança em cárcere privado é condenado a 14 anos de prisão

Postado em: 15-09-2021 às 15h28
Por: Alice Orth
Sua esposa, que foi conivente com o crime, também foi sentenciada a dois anos de prisão. | Foto: Reprodução

Um homem de 42 anos, que estuprou e manteve uma menina de 12 anos em cárcere privado, foi condenado em sentença proferida pela juíza Thaís Lopes Lanza Monteiro a 14 anos, cinco meses e dois dias de prisão em regime fechado. Sua esposa, que foi conivente com o crime, também foi sentenciada a dois anos de prisão em regime aberto.

Segundo a ação penal, movida pelo Ministério Público de Goiás (MP-GO) em 22 de dezembro de 2019, o homem criou um perfil com informações falsas no Facebook e fingiu ser um adolescente para conversar com a vítima. Após alguns dias, eles marcaram um encontro próximo a residência dela.

A menina contou ter estranhado a chegada de uma caminhonete F-400, já que esperava alguém próximo de sua idade. Ele disse ser cunhado do jovem e que a levaria até ele. O acusado dirigiu a criança para um local ermo e tentou tocá-la, mas diante dos protestos deixou-a em casa. Ainda enviando mensagens, ele disse que cometeria suicídio caso ela não voltasse a encontrá-lo.

No dia 30 de dezembro, ele a estuprou próximo ao lixão do município de Itumbiara. A vítima foi levada até sua casa, onde ficou presa por seis dias e sendo abusada novamente por mais duas vezes. O homem foi preso em flagrante. A esposa disse ter sido informada que a menina foi encontrada na rua, e não procurou a polícia por medo.

Compartilhe: