Polícia Civil indicia 16 envolvidos com torcidas organizadas suspeitos de vários crimes

Postado em: 16-09-2021 às 17h25
Por: Luan Monteiro
Conflito entre torcidas teria ocasionado culminado no atropelamento de dois adolescentes, em Goiânia | Foto: Reprodução

A Polícia Civil de Goiás (PC-GO), por meio da Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA), concluiu as investigações relacionadas ao conflito entre torcidas organizadas que culminou no atropelamento de dois adolescentes em abril deste ano, o que gerou diversas lesões físicas as vítimas.

Ao todo, após delimitação de cada conduta, foram indiciadas 16 pessoas pelos crimes de tentativa de homicídio, roubo, omissão de socorro, associação criminosa, apologia ao crime, bem como crimes previstos no Estatuto do Torcedor, diante da prática deliberada de violência num raio de 5.000 metros ao redor de evento esportivo.

Durante as investigações, a policia descobriu que alguns dos suspeitos estariam envolvidos em outra associação criminosa, voltada à prática de golpes via PIX em Goiás, utilizando os meios virtuais para iludir vítimas, geralmente vulneráveis, para subtrair valores. Além disso, apurou-se que um dos membros do grupo também atuava na prática do crime de tráfico de drogas. Estes suspeitos também foram indiciados por estelionato qualificado, associação criminosa e tráfico de drogas.

Por fim, considerando que os crimes tiveram como motivação a guerra entre as torcidas organizadas no Estado (Esquadrão Vilanovense X Força Jovem Goiás) e diante do histórico violento destas associações rivais, a Polícia Civil sugeriu ao Ministério Público de Goiás (MPGO) e ao Tribunal de Justiça de Goiás (TJGO) a suspensão das atividades destes grupos, de modo a impedir a utilização de faixas, vestimentas, cartazes, bandeiras ou qualquer outro meio que os faça serem identificados como torcidas organizadas, dentro e fora de estádios.

Compartilhe: