Um dos suspeitos de matar jovem encontrada em mata do Jaó mandou mensagem para a mãe dela após o crime

Postado em: 17-09-2021 às 15h03
Por: Luan Monteiro
Na mensagem, jovem diz que amava a garota e que ela não merecia o que aconteceu | Foto: Reprodução

Um dos suspeitos de matar a jovem Ariane Bárbara Laureano de Oliveira, de 18 anos, enviou uma mensagem para a mãe da vítima um dia após o corpo ser encontrado pela polícia. Na mensagem, a suspeita disse que amava a jovem e que “ela não merecia isso”.

De acordo com a mãe da jovem, a mensagem foi enviada por um dos amigos de Ariane que foram presos suspeitos de terem matado a garota. Os três suspeitos: Jeferson Cavalcante Rodrigues, de 22 anos, Raíssa Nunes Borges, de 19, e Enzo Jacomini Carneiro Matos, de 18, que usa o nome de Freya, foram presos na última quarta-feira (15/09). 

“Estou mal. Não sei onde recorrer. Não tenho mais forças, até água que tomo, estou vomitando. Saudade eterna da minha filha. Até hoje não entrei no quarto dela, não consegui”, disse ao portal G1.

A mãe da vítima disse, também, que a jovem sempre saía com os suspeitos de a terem matado. “Ariane saía muito e sempre me mandava vídeos com quem ela estava, inclusive, vídeos com eles. Na pista de skate, eles sempre estavam. No dia, ela estava pronta para dormir e eles a tiraram de casa. A chamaram para morte”.

Na última quinta-feira (16), uma adolescente foi apreendida por suspeita de participação no crime. Segundo o delegado, a menina teria enviado a mensagem para a vítima sair e dado uma facada nela.

Segundo a mãe, a adolescente é quem teria mandado a mensagem para ela pedindo perdão.  “Eu sei que você quer tudo menos uma mensagem de alguém que estava lá no dia em que aconteceu, mas eu sinceramente não aguento mais a culpa me corroendo. O fato de que eu poderia ter impedido. Eu queria te pedir perdão por não ter conseguido impedir, por tudo que aconteceu e por ter sido fraca”, escreveu a suspeita em trecho da mensagem.

Segundo as investigações, a jovem foi morta porque uma das investigadas acreditava ser psicopata e a forma que pensou de descobrir se de fato tinha algum distúrbio seria matando uma pessoa e avaliando como se sentiria depois.

Após matarem a jovem, os suspeitos foram a uma lanchonete da capital.

Mensagem enviada a mãe da vitima | Foto: Reprodução
Compartilhe: