Projeto social gera renda a costureiras e vai distribuir 30 mil máscaras, em Aparecida

De acordo com a proposta, até a conclusão do projeto, cada costureira deverá entregar três remessas de 500 máscaras, totalizando 1,5 mil unidades. Pelo serviço, cada uma receberá R$ 2,7 mil.

Postado em: 27-09-2021 às 10h51
Por: Ícaro Gonçalves
De acordo com a proposta, até a conclusão do projeto, cada costureira deverá entregar três remessas de 500 máscaras, totalizando 1,5 mil unidades. Pelo serviço, cada uma receberá R$ 2,7 mil | Foto: Divulgação/ Aparecida de Goiânia

O projeto social Máscara + Renda, desenvolvido pela Rede Asta, organização social que articula ações com vistas à promoção de renda para artesãs e costureiras do Brasil, irá produzir 30 mil máscaras que serão distribuídas para a rede municipal de Educação de Aparecida de Goiânia.

Realizada com parceira da BRK Ambiental, a ação visa beneficiar a rede de ensino do município, mas também um conjunto de profissionais que perderam suas rendas por conta da pandemia. A ação está sendo desenvolvida em todo o país e, no estado de Goiás, está contemplando as cidades de Trindade e Aparecida.

Em Aparecida foram cadastradas 20 costureiras que juntas já produziram 10 mil máscaras repassadas à Secretaria Municipal de Educação (SME) no decorrer da última semana. Uma equipe da SME visitou as costureiras envolvidas no projeto e recolheu na casa de cada profissional um lote contendo 500 unidades do produto. 

Continua após a publicidade

De acordo com a proposta, até a conclusão do projeto, cada costureira deverá entregar três remessas de 500 máscaras, totalizando 1,5 mil unidades. Pelo serviço, cada uma receberá R$ 2,7 mil. O valor corresponde apenas ao pagamento da mão de obra, já que todo o material para a confecção da mercadoria está sendo repassado às costureiras sem nenhum custo. 

Dona Alzira Nunes, de 58 anos, é moradora do Conjunto Bela Morada e há dez anos mantinha uma loja de roupas infantis na Rua 44, em Goiânia. Com as restrições de funcionamento, precisou fechar as portas e passou a viver somente de pequenas facções, o que reduziu muito a renda da família.

“Eu, meu marido e meus filhos cuidávamos tanto da fabricação, quanto da venda das peças. Era o único ganha pão de toda a família”, comenta, acrescentando que o dinheiro do projeto já tem destino certo e irá aliviar bastante no orçamento da casa. 

O secretário de Educação de Aparecida, professor Divino Gustavo, falou das contribuições do projeto e agradeceu pela destinação das mercadorias produzidas aos servidores e alunos da rede de ensino. “Sabemos que, neste momento de pandemia, muitas pessoas estão passando por dificuldades. O projeto Máscara + Renda é uma demonstração de solidariedade e de responsabilidade social. Nesta oportunidade, externo minha gratidão à BRK e às empresas que, juntas, estão fazendo a diferença na vida dos servidores e das famílias aparecidenses”, concluiu o secretário.

Veja Também