Programa Inventário 2021, lançado pelo Governo de Goiás, realiza controle de bens do Estado

Secretário da Administração, Bruno D’Abadia, destacou a importância do levantamento de bens móveis e imóveis que é feito por todos os órgãos e entidades do Estado de Goiás

Postado em: 28-09-2021 às 09h58
Por: Giovana Andrade
Secretário da Administração, Bruno D’Abadia, destacou a importância do levantamento de bens móveis e imóveis que é feito por todos os órgãos e entidades do Estado de Goiás. | Foto: Reprodução

O Governo de Goiás, por meio da Secretaria da Administração (Sead), lançou, nesta segunda-feira (27/09), o Programa Inventário 2021. A iniciativa, realizada pelo terceiro ano consecutivo, tem como finalidade o levantamento e aperfeiçoamento do controle patrimonial por todos os órgãos e entidades do Estado.

Enquanto os inventários de 2019 e 2020 aprofundaram as investigações sobre os bens do Estado, o procedimento em 2021 consistirá na confirmação desses dados pelos órgãos que têm a posse dos itens já listados. Dessa forma, neste ano a prioridade será detalhar os bens imóveis, desde a descrição até a sua utilização.

Cerca de 200 pessoas, representantes das áreas patrimoniais dos órgãos estaduais, participaram da reunião remota, em que o secretário da Administração, Bruno D’Abadia, explicou como a ação será desenvolvida neste ano. Na visão do secretário, a realidade da gestão dos imóveis em Goiás está sendo transformada.

Continua após a publicidade

De acordo com a Sead, as ações desenvolvidas a partir do Programa Inventário em 2019 e 2020 contribuíram para que a aprovação das contas do Governo de Goiás fosse feita sem ressalvas pelo TCE. Contudo, D’Abadia acredita que esta é uma consequência da atuação do Estado na gestão patrimonial.

O secretário agradeceu a atuação dos setoriais da área patrimonial dos órgãos pelo empenho demonstrado em 2020, quando foram inventariados mais de 1,7 milhões de bens móveis e foi feito levantamento de 4.227 imóveis da administração direta e 123 da administração indireta. A intenção é aperfeiçoar a ação nos próximos anos. Nesse sentido, D’Abadia anunciou que, no ano que vem, será possível realizar o inventário de bens imóveis por meio de um sistema que está em desenvolvimento pela equipe da Sead, o que dará mais agilidade ao procedimento.

Na reunião, o superintendente de Patrimônio do Estado, Rogério Bernardes Carneiro, explicou que, a partir do momento em que o inventário é feito de forma constante, ao longo do ano, o trabalho se torna mais simplificado. “A medida que eu tenho uma gestão patrimonial eficiente, no final do ano, o inventário é uma simples conferência”, expôs.

Histórico

O Programa Inventário envolve a contagem de todos os bens móveis do Estado. Essas informações são lançadas no sistema de patrimônio mobiliário e alimentam a contabilidade da gestão junto ao Tribunal de Contas do Estado (TCE). Na primeira edição do programa, realizada em 2019, mais de 25% dos bens móveis do inventário de 2018 não foram encontrados.

Assim, a equipe da Sead procurou sanar as irregularidades e estabeleceu estratégias para a otimização do processo. “Hoje, os trabalhos de gestão patrimonial do Estado de Goiás estão entre os que mais evoluíram no País”, afirmou Bruno D’Abadia. Ele ainda reforçou que, em 2021, o inventário de bens imóveis deve ser entregue até o dia 22 de novembro, enquanto a finalização do levantamento de bens móveis de cada órgão deve ser feita até 20 de dezembro.

Veja Também