Conta de luz alta faz demanda por energia solar crescer

Estado se consolida em 7º lugar entre os estados que mais realizou instalações de geração de energia solar

Postado em: 04-10-2021 às 08h22
Por: Daniell Alves
Estado se consolida em 7º lugar entre os estados que mais realizou instalações de geração de energia solar | Foto: Reprodução

Com tendência de crescimento nos últimos anos, as instalações de energia solar têm crescido em Goiânia devido ao aumento na conta de energia. Goiás está em 7º lugar entre os estados brasileiros que realizou novas instalações de energia solar no último ano. De acordo com dados da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), foram nove mil novas conexões de geração distribuída. A potência instalada foi de 152 megawatts (MW). O número de conexões em 2020 foi quase o dobro do registrado em 2019.

A Go Solar, especializada no mercado de energia solar, registrou aumento de 20% acima do esperado no mês de agosto. A tendência para este ano também é de crescimento. O aumento nas instalações em Goiás ajudou o País a ficar em nono lugar entre os países que registraram maior potência adicionada, conforme o mapeamento da Associação Brasileira de Energia Solar (Absolar). Em todo o País, até agosto deste ano, foram instalados 180 mil sistemas de energia solar, cerca de 40% a mais em comparação ao mesmo período.

Uma das sócias da Goiás Energia Solar, empresa em Goiânia, Wanessa Lopes, atua no setor há cerca de cinco anos. Ela conta que percebeu aumento significativo na procura pelas instalações, tanto em comércio quando em residências. Segundo ela, a busca pela economia com energia elétrica é um dos principais motivos que fazem os clientes procurarem a empresa.

Continua após a publicidade

A redução faz com que as pessoas tenham retorno no investimento no prazo de três anos, informa ela. “Tivemos um aumento no valor de mercadorias que tinham reduzido o preço em 2018. Alguns equipamentos eletrônicos tiveram aumento porque são importados”. Neste contexto, explica, é preciso levar em consideração o dólar. “A população começou a perceber que a energia solar vale a pena, mesmo que gaste um pouco a mais na instalação”, finaliza.

Para fortalecer e diversificar o suprimento de eletricidade, o presidente do Conselho de Administração da Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (Absolar), Ronaldo Koloszuk, reforça o papel estratégico da energia solar. Segundo o dirigente, é mais barato para o governo incentivar a energia solar, seja das grandes usinas contratadas em leilão ou pela geração própria em telhados e pequenos terrenos, do que pedir para a população economizar energia.

“As usinas solares de grande porte geram eletricidade a preços até dez vezes menores do que as termelétricas fósseis emergenciais ou a energia elétrica importada de países vizinhos atualmente, duas das principais responsáveis pelo aumento tarifário sobre os consumidores”, aponta.

Economia

De acordo com a empresa Blue Sol, plataforma que fornece soluções completas em Energia Solar Fotovoltaica, gerar energia solar em Goiânia pode reduzir em até 95% a conta de luz da casa ou empresa e trazer um retorno do investimento a partir de três anos.

Na Capital, há potencial para geração de energia elétrica. Isso porque está localizada no chamado ‘cinturão do Sol, como é chamada a faixa do Brasil com as regiões que mais recebem índices de radiação solar anual.

Segundo o Atlas Brasileiro de Energia Solar, essa faixa concentra os valores máximos de irradiação solar (média de 5.7 kWh/m²) e engloba o Oeste da região Nordestina, incluindo parcialmente o Norte de Minas Gerais, Nordeste de Goiás e o Sul de Tocantins.

A Blue explica que essa abundância de Sol faz de Goiânia uma das cidades que apresentam maior vantagem no uso da tecnologia e uma das regiões com o melhor potencial para geração de energia solar no Brasil.

Funcionamento

A energia solar funciona da seguinte forma: o sistema começa a funcionar logo pela manhã, gerando assim energia elétrica de acordo com a intensidade da luz. Durante o dia, é gerado boa parte do consumo e pode até gerar um excedente, criando assim créditos energéticos para consumir depois. Caso tenha gerado créditos durante o dia, a pessoa os consome à noite possibilitando até zerar o consumo de energia total.

O Estado possui um projeto chamado Casa Solar, que instala sistemas de geração de energia fotovoltaica em empreendimentos habitacionais. Um deles é o Residencial Luciano Peixoto, em Pirenópolis, primeiro de interesse social do Brasil em escala com sistema. O residencial conta com 149 moradias equipadas com o sistema, que pode gerar de 40 a 70% de economia na conta de energia das famílias. (Especial para O Hoje)

Veja Também