Entenda como funciona a biometria facial para estudantes no transporte coletivo

Medida visa evitar fraudes no sistema de bilhetagem

Postado em: 05-10-2021 às 08h24
Por: Daniell Alves
Medida visa evitar fraudes no sistema de bilhetagem | Foto: Reprodução

Para evitar fraudes, a partir de hoje (5) começa a valer a biometria facial para todos os estudantes da rede estadual de ensino cadastrados no sistema de bilhetagem eletrônica (Sitpass). Assim como ocorre com os idosos, a biometria é composta de recursos tecnológicos que têm como objetivo assegurar o uso correto pelo titular do cartão Sitpass que possua algum benefício tarifário.

O projeto já vem sendo testado desde o início do ano, com a implementação do novo sistema de bilhetagem eletrônica do transporte público coletivo da Região Metropolitana de Goiânia. A gerente do Sitpass do RedMob Consórcio, Flávia Tillmann, explica que não mudará nada para o estudante. “Ele vai apresentar o cartão normalmente no validador e será tirada uma foto automática. Posteriormente, a foto irá para o sistema e será comparada. Se não for a foto do estudante, o cartão será bloqueado”, informa.

De acordo com ela, não é necessário fazer nenhum cadastro. “O sistema já é utilizado desde o início do ano para idosos. Cerca de 20 mil cartões já foram bloqueados após serem identificadas fraudes nos sistemas. As pessoas que utilizam máscara também serão reconhecidas pelo sistema”, explica. Os estudantes que tiverem usando o cartão de forma indevida terão o benefício bloqueado por 30 dias. Se persistir no uso incorreto, por mais 60 dias e depois 90 dias, podendo perder o benefício para sempre.

Continua após a publicidade

De acordo com a RedeMob o processo tem se mostrado muito efetivo, ao longo dos últimos oito meses, no combate ao uso indevido pelos titulares dos cartões idosos, deficientes, dentre outros.

Para Rita Pereira, mãe de dois alunos que têm acesso ao benefício do Estado, a iniciativa trará mais segurança e deve impedir que as pessoas usem de má fé para andar no transporte público. “É um direito dos estudantes, então não é qualquer pessoa que pode usar. Também se ocorrer perda do cartão, outra pessoa não poderá usar para se beneficiar”, diz.

Passe Livre Estudantil

O Passe Livre Estudantil (PLE) dá direito a duas viagens por dia e até 48 viagens por mês para deslocamento de ida e volta à instituição de ensino. O saldo do cartão não é cumulativo. Dessa forma, se o estudante não utilizar todos os créditos, no mês seguinte será creditada apenas a diferença para completar as 48 viagens. O número creditado leva em consideração os dias letivos de cada mês, conforme repassado pelas instituições de ensino. 

A cobertura de atendimento abrange Abadia de Goiás, Aparecida de Goiânia, Aragoiânia, Bela Vista de Goiás, Bonfinópolis, Brazabrantes, Caldazinha, Goianápolis, Goiânia, Goianira, Guapó, Hidrolândia, Nerópolis, Nova Veneza, Santo Antônio de Goiás, Senador Canedo, Terezópolis de Goiás e Trindade. 

O PLE atende a 41.363 estudantes em Goiânia e Região Metropolitana, e 2.972 em Anápolis. O benefício foi bloqueado em 2020 devido à pandemia de Covid-19, que impôs a proibição das aulas presenciais. No entanto, para 14 mil alunos da área da saúde e assistência social envolvidos no enfrentamento à doença, foram mantidos os créditos mensais.

Unidades do Vapt Vupt

Em Goiânia e na Região Metropolitana, o Vapt  Vupt é responsável pela entrega dos cartões dos novos usuários. Já em Anápolis, as duas unidades do município vão realizar apenas a ativação dos cartões já cadastrados e atualizados. Os locais de retirada dos cartões são: Araguaia, Bougainville, Buena Vista, Campinas, Cerrado, Cidade Jardim, Lozandes, Mangalô, Passeio das Águas, Portal Shopping, Praça Cívica e Praça da Bíblia. (Especial para O Hoje)

Veja Também