Com redução de internações, Estado fecha 159 leitos para Covid-19

Taxa de ocupação em UTIs é de 47% e em enfermarias, 29%. Goiás segue tendência nacional de queda em internações

Postado em: 06-10-2021 às 08h33
Por: Maiara Dal Bosco
Taxa de ocupação em UTIs é de 47% e em enfermarias, 29%. Goiás segue tendência nacional de queda em internações | Foto: Reprodução

Diante do cenário de queda na taxa de ocupação hospitalar por Covid-19 em Goiás, a rede estadual de saúde já desmobilizou ou converteu 159 leitos destinados para tratamento da doença. Ao todo, segundo a Secretaria Estadual de Saúde de Goiás (SES-GO), foram desmobilizados ou convertidos 73 leitos de Unidades de Terapia Intensiva (UTI) e 86 leitos de Enfermaria. De acordo com a pasta, a ocupação de leitos é dinâmica e continuamente monitorada e que, com isso, novas adequações podem ser adotadas, caso se observe necessidade.

Dados do Painel Covid-19 atualizados ontem (05) pela SES dão conta que a rede estadual de saúde disponibiliza 979 leitos para Covid-19, dos quais 587 encontram-se disponíveis, 368 ocupados e outros 24 bloqueados. Com isso, a taxa de ocupação das UTIs é de 47%, e dos leitos de enfermaria, de 29%.

Redução sustentada

Continua após a publicidade

De acordo com o superintendente estadual de atenção integral à saúde, Sandro Rodrigues, a SES já está trabalhando com a mudança no uso das vagas de UTI e de enfermaria em vários hospitais no Estado, a exemplo dos Hospitais Gerais, como o Hospital Estadual Alberto Rassi (HGG), Centro Estadual de Reabilitação e Readaptação Dr Henrique Santillo (Crer) e o Hospital Estadual de Urgências Governador Otávio Lage de Siqueira (Hugol), por meio de uma redução sustentada. 

“Tiramos os leitos de Covid dos Hospitais Gerais, e, a partir da observação das taxas, a medida em que tiver as reduções, vamos desmobilizando também os Hospitais de Campanha”, afirmou, destacando que os Hospitais de Campanha, por serem exclusivos ao tratamento da Covid-19, deverão ser os últimos a serem desmobilizados. “Não sabemos se vamos conseguir desmobilizá-los 100%, já que a previsão é que a Covid-19 se mantenha com um índice endêmico. O último a ser desmobilizado seria o HCamp”, destacou.

Em Goiás a SES-GO já registra 868.215 casos confirmados de Covid-19. Destes, há o registro de 23.569 óbitos confirmados. No Estado, há, ainda, 626.995 casos suspeitos e 509 óbitos suspeitos em investigação. A taxa de letalidade no Estado é de 2,72%.

Tendência Nacional

A ocupação geral de leitos hospitalares segue em queda a nível nacional. É o que aponta o boletim Covid-19 divulgado pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), com dados atualizados até agosto deste ano. Segundo o boletim, em agosto, observou-se, novamente, uma redução expressiva na proporção de leitos alocados exclusivamente para atendimento à Covid-19 dos hospitais da amostra, chegando a 18%, após ter alcançado os índices mais altos observados desde o início desse monitoramento nos meses de março e abril de 2021 (49%).

De acordo com o relatório, a ocupação de leitos de UTI para atendimento à Covid-19 apresentou redução de 2 pontos percentuais em relação a julho (de 61% para 59%); já para os leitos comuns, houve aumento de 6 pontos percentuais (de 51% para 57%). A taxa de ocupação, tanto de leitos comuns como de UTI para demais procedimentos apresenta estabilidade desde fevereiro de 2021.

Exames eletivos

Em agosto de 2021, o indicador apresentou aumento em relação ao mês anterior, mas permanece abaixo do patamar observado antes do início da pandemia, em fevereiro de 2020. Quanto à procura por exames e terapias eletivas (Serviços de Apoio Diagnóstico Terapêutico – SADT), a emissão de autorizações para procedimentos de SADT em agosto cresceu 11,1% em relação a agosto de 2019 (pré-pandemia), o que aponta para um retorno da procura por exames e terapias eletivas, que sofreram redução expressiva ao longo do ano passado. (Especial para O Hoje)

Veja Também