Servidores da Segurança Pública marcam protestos para cobrar reajuste salarial, em Goiânia

Postado em: 26-10-2021 às 11h11
Por: Nielton Soares
Pagamento da data base de 2022 já foi descartado pela secretária de Economia de Goiás, Cristiane Schmidt, na Alego | Foto: reprodução

Os servidores da Segurança Pública de Goiás (SSPGO) marcaram para a próxima quinta-feira (28/10) protestos para cobrar do Governo Estadual o pagamento da data base. O ato está programado para se concentrar na frente da sede da Assembleia Legislativa de Goiás (Alego), às 14 horas.

As manifestações estão sendo organizadas pela Associação dos Policiais Penais do Estado de Goiás (ASPPEGO), pelo Sindicato dos Servidores do Sistema de Execução Penal do Estado de Goiás (SINSEP – GO) e por parlamentares, como o vereador Cabo Senna (Patriota).

Em relação ao reajuste salarial para todos os servidores estaduais, a secretária de Economia do Estado de Goiás, Cristiane Schmidt, durante prestação de contas no último dia 13 na Alego, confirmou que não será possível aumentar custos da folha de pagamento no próximo ano.

Segundo ela, não haverá recursos para honrar compromissos. “Não adianta, de uma vez só, querer fazer 500 milhões de coisas com a folha do servidor, porque obviamente não vamos ter dinheiro para fazer nada para os 7,2 milhões de goianos”, disse ao deputados.

A secretaria citou também o teto de gastos que o Estado tem que cumprir. “Mesmo que não tivéssemos uma Lei estadual, nós temos que cumprir uma Lei federal porque, caso contrário, vamos pagar uma multa de mais de R$ 1 bilhão. E isso não é bom para ninguém”, ressaltou.

Compartilhe: