Frigorífico de Palmeiras de Goiás é condenado por não afastar funcionários com Covid-19

Postado em: 25-11-2021 às 15h32
Por: Alice Orth
O frigorífico alegou que já adota práticas para evitar a contaminação. | Foto: Reprodução

Uma empresa comercializadora de carnes de Palmeiras de Goiás foi condenada pelo Tribunal Regional do Trabalho de Goiás (TRT-18) a cumprir uma série de medidas para prevenir e minimizar a disseminação da Covid-19 entre seus funcionários. A decisão da ação civil pública movida pelo Ministério Público do Trabalho foi divulgada nesta quinta-feira (25/11).

O frigorífico alegou que já adota práticas para evitar a contaminação pelo coronavírus. O relator do processo, desembargador Platon Teixeira Filho, entendeu que ficou claro no processo que a triagem feita pela empresa não foi efetiva, incluindo o não-afastamento de empregados com suspeita de contágio pelo vírus.

Foi determinado que trabalhadores com possibilidade de carregarem o Covid-19 sejam afastados imediatamente, com emissão de Comunicação de Acidente de Trabalho (CAT) quando caso for ligado ao ambiente de trabalho; triagem para evitar desenvolvimento de formas graves da doença; entre outras medidas de saúde, higiene e segurança.

Caso haja negligência no cumprimento das orbigações, a empresa deve pagar multa de R$ 1 mil por funcionário prejudicado, chegando ao valor máximo de R$ 50 mil.

Compartilhe: