Grupo é alvo da PF por suspeita de golpes contra a Caixa em Goiás e mais 2 Estados

Postado em: 30-11-2021 às 11h24
Por: Nielton Soares
A polícia estima que as fraudes causaram prejuízos à estatal que ultrapassam os R$ 200 mil. Investigações seguem em curso | Foto: PF

A Polícia Federal (PF) deflagrou nesta terça-feira (30/11) a Operação Quatro Passaggeri que desarticulou um grupo suspeito de praticar estelionatos e outras fraudes, como adulteração de cheques em favor de terceiro. Todos os crimes contra a Caixa Econômica Federal (CEF).

O cumprimento de mandatos de quatro mandados de busca e apreensão em imóveis conta com cerca de 20 policiais federais. As investigações acontecem estados de Santa Catarina (Jaraguá do Sul e Balneário Camboriú), Goiás (Goiânia) e Mato Grosso (Várzea Grande).

Segundo a PF, as investigações tiveram início em 2019, quando os acusados conseguiram sacar mais R$ 78 mil de um cheque emitido no valor de R$ 751, na agência da Caixa de Lages (SC). Os investigadores constataram que o grupo conseguiu aplicar golpes de forma semelhante na região de Balneário Camboriú e em outros estados da federação.

Esquema

O esquema funcionava quando os criminosos conseguiam adulterar cheques autênticos, que eram emitidos por empresas e condomínios residenciais, por meio de sofisticado de arranjo fraudulento, lesando as empresas e o banco sacado.

Ao todo, a polícia estima que as fraudes causaram prejuízos aos cofres da estatal que ultrapassam os R$ 200 mil. O inquérito segue em curso e apura o envolvimento de outras pessoas ou outros fatos criminosos. Caso sejam condenado, as penas podem somar mais de 15 anos de prisão. O nome da operação, Quatto Passeggeri, vem do italiano quatro passageiros, e faz alusão às características do núcleo do grupo criminoso investigado, que mudavam constantemente o local de moradia.

Compartilhe: