Operação da PCGO prende famílias envolvidas em crimes de tráfico e agiotagem

Em um dos mandados foram apreendido dois irmãos, uma irmã e a mãe envolvidos com tráfico, e em outro mandado um casal de irmãos envolvidos com agiotagem.

Postado em: 03-12-2021 às 15h41
Por: Almeida Mariano
Em um dos mandados foram apreendido dois irmãos, uma irmã e a mãe envolvidos com tráfico, e em outro mandado um casal de irmãos envolvidos com agiotagem | Foto: Divulgação

A Polícia Civil do Estado de Goiás (PCGO), por meio do Grupo Especial de Repressão a Crimes Contra o Patrimônio (Gepatri)  e Grupo de Repressão a Narcóticos (Genarc) de Luziânia, realizou na última quinta-feira (2) uma operação de busca e apreensão em quatro endereços que estariam relacionados ao tráfico de drogas.

Durante a operação, em um lava-jato, o suspeito que havia sendo investigado foi abordado com 40 pedras de crack e valores em dinheiro, dentro de uma pochete que estava em sua cintura. No endereço residencial do suspeito, não foi localizado nenhuma droga, isso porque a mãe dele havia solicitado para a outra filha retirar o cofre do autuado e levar para a casa de outro irmão, que morava nas proximidades.

Porém, a operação também cumpriu mandado para o endereço do irmão e encontrou o cofre escondido embaixo de um cobertor. Foram encontrados porções de cocaína, balança de precisão e dinheiro. A  mãe e a irmã foram autuadas pelo delito de favorecimento real ao tentar tornar seguro o proveito do crime de tráfico praticado pelo alvo da investigação.

Continua após a publicidade

Em outro local, um estabelecimento comercial, foram encontradas provas de agiotagem, sendo que um casal de irmãos foi flagrado com vasto material probatório, entre os quais, dinheiro, diversas notas promissórias e anotações com empréstimos a juros praticados acima do mercado.

Durante a operação, a irmã agiota chamou uma policial e sugeriu que não fosse conduzida à delegacia em troca de dinheiro encontrado. Neste momento, foi dada voz de prisão em flagrante pelo crime de corrupção ativa, em que a pena pode chegar a 12 anos de prisão, além de responder pela contravenção penal pela agiotagem. Durante o cumprimento dos mandados, foi possível encontrar droga, balança de precisão, utensílios para o tráfico e valores.

Veja Também