Prefeitura de Nazário comprou hidratantes corporais para ‘combate à covid-19’, aponta PC

Caso seja identificado crime de dispensa ilegal de licitação, os investigados podem sofrer detenção de 3 a 5 anos e multa.

Postado em: 09-12-2021 às 08h12
Por: Ícaro Gonçalves
Caso seja identificado crime de dispensa ilegal de licitação, os investigados podem sofrer detenção de 3 a 5 anos e multa | Foto: Reprodução

Na última quarta-feira (8/12), a Polícia Civil de Goiás (PCGO) apreendeu objetos e documentos do poder público de Nazário, município a 73 km de Goiânia, em meio a investigação que apura dispensa ilegal de licitação durante a pandemia de covid-19. A PCGO apura ainda, a compra de produtos supérfluos, sem utilidade para o combate ao vírus.

Segundo a investigação, a prefeitura do município teria gasto mais de R$ 730 mil para comprar itens de combate à pandemia com dispensa de licitação, alegando necessidade de compra imediata devido a situação emergencial.

Os contratos foram celebrados, mas entre os itens comprados estavam produtos supérfluos, com preços elevados, como protetor solar fator 70 de marca francesa, vitaminas, suplementos alimentares, hidratantes corporais, dentre outros.

Continua após a publicidade

Os documentos dos contratos serão apurados pela Delegacia Estadual de Combate à Corrupção (Deccor). Caso seja identificado crime de dispensa ilegal de licitação, previsto no artigo 89 da Lei 8.666/93, os investigados podem sofrer detenção de 3 a 5 anos e multa.

Veja Também