Prefeitura de Goiânia garante melhora na drenagem das águas das chuvas em 80%

Postado em: 16-12-2021 às 05h40
Por: Redação
Criações de bocas-de-lobo (bueiros para drenagem da água da rua) e limpeza de canais para retirada de lixo são a aposta para evitar grandes transtornos com chuvas mais fortes | Foto: reprodução

Por Ítallo Antkiewicz

A Prefeitura de Goiânia deu prioridade este ano para construção de obras urbanas para drenar as águas das chuvas. Até o momento, cerca de 6 mil toneladas de detritos das bocas-de-lobo de Goiânia foram retiradas e mais de 80% do sistema viário da capital já recebeu esse serviço para diminuir alagamentos e inundações na cidade. Essas estruturas serão acompanhadas via georreferenciamento (mapeamento por satélite, em tempo real).

  Cerca de 500 servidores estão nas ruas da capital com a limpeza de pontos mais passíveis de gravidade como nos bairros: Parque Oeste Industrial, Condomínio das Esmeraldas, Parque das Flores, Maria Rosa, Serra Azul, Gentil Meireles, Parque Industrial João Braz, Setor Jaó, Urias Magalhães e Residencial São Marcos.

Além disso, foram feitos retoques de proteção ( reforço nas estruturas)  contra  enchentes nos setores Gentil Meireles, Serra Azul, Vila Roriz, Crimeia Leste, Vila São José, Urias Magalhães, Jardim Mariliza, Setor Oeste. Foi realizado, ainda,  enroscamento de pedra na Marginal Botafogo e obras de contenção de erosão e galerias de água pluvial nos bairros Goiânia Viva, Jardim Petrópolis, Pedro Ludovico, Sol Nascente, Faiçalville e Residencial São Marcos, por exemplo.

O enrocamento é um dispositivo amortecedor formado por estrutura executada em pedra, destinado à proteção de taludes e canais, contra efeitos erosivos ou solapamentos, causados pelos fluxos d’água. O enroscamento pode ser de pedra arrumada ou lançada, rejuntada ou não com argamassa.

“Fizemos uma série de ações prévias à chegada do período chuvoso. Trabalhamos bastante, mas sabemos que a cidade é muito grande e existem problemas. Então em alguns locais vamos ainda enfrentar dificuldades. No período de seca eram 14 equipes e hoje são 20. Continuamos em serviço sem parar”, afirma o secretário municipal de Infraestrutura, o engenheiro, Fausto Sarmento.

Entre os trabalhos realizados, além da limpeza, têm-se a recuperação e ampliação das bocas-de-lobo, recuperação de meio-fio, recuperação de guarda corpo, instalação de grade protetora em bocas de lobo e bocas de leão, desobstrução e limpeza de canal fluvial, limpeza de grelhas (ferros sobre as estruturas), lançamento de esgoto e águas servidas, limpeza de galerias, recuperação de envelopamento reforçando o rejunte dos tubos de escoamento, reforço no guard rails (muretas), intervenção com massa asfáltica onde existe água empossada, ampliação de rede, ampliação de vão de entrada de águas pluviais e contenção de processo erosivo nas margens de vias.

Bairros

Essas intervenções foram realizadas no Conjunto Caiçara, Setor Santo Hilário, Setor Grande Retiro, Jardim Novo Mundo, Jardim Novo Planalto, Alto da Glória II, Parque Amazônia, Jardim Botânico, Alto da Glória, Vila Redenção, Jardim América, Bueno, Oeste, Sul, Marista, Jardim Goiás, Recanto do Bosque, Estrela Dalva, Jardim Curitiba III, Parque Tremendão, Morada do Sol, Marabá, Cidade Jardim, Granja Santos Dumont, Aeroviário, Campinas, Ferroviário, Setor dos Funcionários, Centro, Vila Santa Helena, Leste Universitário, Vila Montecelli, São José, Centro-Oeste, Parque Oeste Industrial, Jardim Caravelas, Jardim Presidente, Rio Formoso, Novo Horizonte, Jardim Europa e Jardim Planalto.

Para 2022, o secretário Fausto anunciou mais uma medida importante nessa área. “Estamos contratando, em conjunto com a Agência de Regulação de Goiânia, o Plano Diretor de Drenagem de Goiânia, que é o primeiro ponto a ser feito para iniciar um planejamento sério porque esse tipo de plano vai dividir todo o município em microbacias e vamos trabalhar bacia por bacia, eliminando os alagamentos e inundações de forma planejada”, finaliza Sarmento.

Cerca de 90 servidores ainda trabalham na manutenção asfáltica da capital nos bairros: Setor Central, Setor Pedro Ludovico, Parque Atheneu, Jardim do Cerrado, Bairro Rodoviário, Conjunto Riviera, Recanto das Minas Gerais, Vila João Vaz, Setor Morada do Sol, Jardim Ipê, Residencial Itamaracá, Jardim Europa e Jardim Presidente. A cada recuperação, são criadas outras bocas-de-lobo para mais escoamento, explica o secretário.

A limpeza de bueiros, bocas de lobo, córregos e pontes é feita no Bairro Rodoviário, Jardim Europa, Fazenda Santa Rita, Jardim Presidente, Setor Oeste, Setor Marista, Setor Universitário, Setor Central, Setor Campinas, Bairro da Vitória, Setor Estrela Dalva, Jardim Curitiba, Jardim Nova Esperança, Bairro Capuava e Setor São José.

Goiânia já realizou o serviço de limpeza de bocas de lobo na última terça-feira (14) no Residencial Fortaleza, Setor Central, Setor Leste Universitário, Setor Rio Formoso, Setor Sul, Parque Tremendão, Jardim Petrópolis, Setor Carolina Park, Jardim América, Setor Bueno, Vale das Pombas, Setor Castelo Branco, Setor Água Branca, Bairro São Francisco, Setor São José, Jardim Curitiba 3, Setor Noroeste, Vale dos Sonhos, Setor Urias Magalhães, Setor Santa Rita e no Setor Sudoeste.

Georreferenciamento

A partir deste mês de dezembro, a Prefeitura de Goiânia já conta com um novo equipamento tecnológico que vai fazer a limpeza mais profunda em cerca de 20 km de galerias e dezenas de bocas-de-lobo da cidade em uma rapidez muito maior que a manual. Com mais precisão e detalhes técnicos que são necessários para o desenvolvimento do trabalho.

As bocas-de-lobo serão georreferenciadas e numeradas. O que tem a pretensão de proporcionar um cadastro atualizado e com identificação dessas estruturas. “O objetivo é criar facilidade na manutenção e controle”, diz o titular da Seinfra.

Para isso, a (Seinfra) contratou empresa especializada em serviços de saneamento que irá realizar a manutenção, recuperação e cadastramento de galerias de rede de águas pluviais e bocas-de-lobo. ”Primeiro faremos um teste. Em seguida, abriremos o edital para um trabalho mais amplo. Com isso, conseguiremos agilizar o serviço e, por consequência, deixar o contribuinte ainda mais satisfeito”, explica o secretário.

Como funciona

Com o sistema de hidrojato, é possível fazer a limpeza, remoção, desobstrução e desentupimento de qualquer superfície, como espaços de difícil acesso, redes pluviais, áreas alagadas e outros, sem importância do tamanho, comprimento, espessura ou tipo de material. Assim, o local fica apto para ser inspecionado por um robô blindado com câmeras acopladas que faz a vídeo inspeção com a gravação de imagens internas das tubulações para uma análise detalhada e identificação precisa do problema.

O trabalho atua como uma “endoscopia”. Com imagens em alta resolução que proporcionam o diagnóstico exato. Onde é emitido laudo técnico com todos os pontos significativos da rede para permitir reparo preciso no local do problema.

Por meio de uma frota de caminhões com hidrojato e sucção a vácuo, é feita a limpeza e desobstrução de galerias pluviais, com um sistema de inspeção robotizada. O que possibilita não só a limpeza desses locais, mas também localizar o ponto exato para correção de falhas identificadas na rede. De acordo com técnicos, será possível constatar o tipo de material utilizado, diâmetro, declividade e outras ocorrências.

“Quem opera esse robô é um técnico da empresa que acompanha essa inspeção em uma tela de computador. Caso precise de manutenção, a própria empresa será a responsável por fazer. O grande impacto para nós com esse serviço é o diagnóstico e o mapeamento de toda a rede que eles irão fazer. Essa tecnologia de diagnóstico é alemã e conseguimos antecipar o problema com relatórios mais assertivos. Isso vai nos ajudar muito no período chuvoso com a limpeza das galerias e diminuição de enchentes”, afirma Fausto.

Compartilhe: