Ex-delegado geral da Polícia Civil é suspeito de falsificar ocorrências

Postado em: 23-12-2021 às 08h23
Por: Redação
Esquema teria causado prejuízos a várias seguradoras. | Foto: Reprodução/Internet

Por Yago Sales

O ex-delegado geral da Polícia Civil de Goiás, André Fernandes de Almeida, foi alvo de busca e apreensão em sua residência durante operação ordenada pela Justiça contra outros seis agentes da corporação. Segundo o jornal O Hoje apurou com policiais, sob sigilo, o delegado e os subordinados a ele teriam recebido ao menos R$10 mil por ocorrências de roubos de carga. Com isso, seguradoras de veículos foram vítimas dos golpes.

Nos grupos de policiais, a informação da suspeita em cima do nome do policial, com 17 anos de carreira, surpreendeu vários agentes de segurança. No mandado de expedido pelo Tribunal de Justiça do Estado de Goiás (TJGO) é destacado que o experiente delegado, sobretudo quanto à prisão de líderes de facções ligadas ao tráfico de drogas, foi apontado por dois investigados que Fernandes era o “único” delegado da região de Anápolis que registrava roubo de cargas sem a presença do “motorista”. Ainda segundo o documento, o delegado receberia 10 mil por cada registro.

A filha de um agente, que seria subordinado ao delegado, seria uma pessoa que recebia os valores. Um relatório do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (COAF) teria, segundo a decisão, encontrado indícios de que o delegado comprou, em dinheiro vivo, um carro no valor de R $86.500,00.

O delegado, que começou a carreira na cidade de Posse, foi nomeado à época em que Zé Eliton (PSDB) era governador de Goiás e o secretário de Segurança Pública era Irapuan Costa Júnior. Na ocasião da posse, André Fernandes destacou a carreira, sobretudo a fama que conquistou por dar celeridade às investigações contra traficantes. Fernandes já esteve à frente da 2ª DRP de Aparecida de Goiânia – responsável por 14 municípios – onde, diziam dados no período, houve queda na criminalidade, principalmente na quantidade dos homicídios.

Além de solucionar diversos homicídios e latrocínios, André ficou conhecido, nacionalmente, na condução do trabalho da Polícia Civil para identificar os crimes cometidos por João de Deus. Ficou a cargo do delegado, por exemplo, a rendição do médium. A reportagem procurou a Secretaria de Segurança Pública de Goiás, mas a assessoria de imprensa disse que toda informação deverá ser repassada pela Polícia Civil. A corporação, por sua vez, até o fechamento desta edição não se pronunciou.

Compartilhe: