Cerca de 12 mil goianos buscaram negociar suas dívidas e limpar o nome

O valor médio da dívida de cada consumidor gira em torno de R$ 4.446,43.

Postado em: 23-12-2021 às 08h28
Por: Daniell Alves
O valor médio da dívida de cada consumidor gira em torno de R$ 4.446,43. | Foto: Reprodução/Internet

Pelo menos 12 mil goianos fizeram busca na Câmara dos Dirigentes Lojistas (CDL) para negociar dívidas e limpar o nome. A consulta foi realizada durante as duas edições do Mutirão Limpe Seu Nome, realizadas neste ano pela Câmara. Na edição feita neste mês, 5788 fizeram a busca, sendo que 4049 estavam com o nome sujo nos serviços de proteção ao crédito. 

Os municípios com mais consultas são: Goiânia, Anápolis, Goianira, Senador Canedo e Goiatuba. Já com relação aos bairros da Capital, o Centro concentra a maior procura (239). Logo em seguida está o Jardim América (142) e Jardim Novo Mundo (110). 

A CDL informa que não sabe se a dívida foi negociada, já que as empresas participantes não dão esse retorno. Somente neste recorte de inadimplentes as dívidas ultrapassam R$ 50 milhões. A ação oferece até 100% de descontos em multas e juros, além do parcelamento das dívidas e remoção imediata do CPF que esteja no banco de dados do SPC (Serviço de Proteção ao Crédito). 

Continua após a publicidade

Um levantamento feito durante a última edição do mostrou que o valor médio da dívida de cada consumidor gira em torno de R$ 4.446,43 e a faixa etária de pessoas que mais possuem débitos é de 30 até 39 anos (36%), seguida por idades entre 19 e 29 (34%). Já na localização, levando em conta somente Goiânia, a maior parte dos acessos foi feita a partir dos bairros da região central, Jardim América e Jardim Novo Mundo.

Para o presidente da CDL Goiânia, Geovar Pereira, oferecer condições para renegociação de dívidas é bom para o comércio, mas, além disso, é uma questão social. “O nível de endividamento dos brasileiros subiu muito, agravado, principalmente, pela pandemia. Muitas famílias perderam empregos e estão com dificuldades para manter em dia despesas básicas. Quando isto ocorre, ele fica sem acesso ao crédito e muitas vezes sem condições de tocar a vida com dignidade. Uma entidade como a CDL precisa contribuir e criar condições para que os consumidores liquidem suas dívidas,” explica o dirigente. 

65,45% dos consumidores de Goiânia vão presentear neste Natal

Outra pesquisa realizada pela CDL Goiânia aponta que as vendas no comércio para o Natal deste ano na capital e Região Metropolitana devem ser aquecidas. Ao todo, 65,45% dos que responderam à enquete afirmam que vão presentear, enquanto 16,36% ainda não se decidiram e 18,18% não vão gastar na comemoração. Os números locais seguem a tendência do restante do Brasil, onde a expectativa é de que 77% dos consumidores presenteiem, retornando ao patamar de consumo pré-pandemia, de acordo com a CNDL (Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas).

Geovar Pereira analisa que a queda do número de casos de Covid-19 traz mais tranquilidade ao cliente que vai às lojas e também àqueles que vão se reunir para comemorar. “No último ano a população ainda estava insegura quanto às reuniões familiares, o que acabou por interferir na prática de trocar presentes. Agora, com a pandemia mais controlada, o comércio dá passos mais consistentes na direção da retomada econômica.”

Os dados ainda mostram que o valor do presente neste Natal, na comparação com 2020, será menor para 42,2%. Já 26,6% dos ouvidos na enquete devem manter o gasto na mesma média do ano passado e 12,22% pretendem aumentar. Em nível nacional, 33% dizem que vão gastar menos nas compras de presentes este ano; 31% querem gastar mais e 27% vão manter a mesma quantia. (Especial para O Hoje). 

FECHA

Estado divulga o calendário do IPVA sem aumento de alíquota 

O calendário de pagamento do Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) e do licenciamento de veículos foi divulgado pelo Governo de Goiás, por meio da Secretaria de Estado da Economia. O valor pode ser pago em três parcelas ou parcela única na data limite para o pagamento, começando pela placa de final 1, em janeiro, no caso de parcelamento, e terminando com o final 0, em outubro, com parcelamento. 

Para o proprietário que preferir pagar em parcela única o prazo para a placa com final 1 será 30 de março e para a placa de final 0 será 30 de novembro. O valor do IPVA, referente ao veículo usado, foi calculado com base no valor de mercado local, apurado em pesquisa da FIPE (Fundação de Pesquisa Econômica). A tabela serve de referência para a cobrança do imposto e está na Instrução Normativa da Secretaria da Economia que fixa o calendário. O veículo novo vendido no Estado não paga IPVA no ano de sua aquisição.

A Secretaria da Economia informa que as alíquotas do IPVA não terão aumento em 2022. A última vez que foram alteradas foi em 2015, há mais de seis anos. As alíquotas são: 1,25% para ônibus, micro-ônibus, caminhão, veículos aéreos e aquáticos utilizados no transporte coletivo de passageiros e de carga; 3% para motocicleta, ciclomotor, triciclo, motoneta e automóvel de passeio com potência até 100 cv (cavalos); 3,45% para os veículos utilitários; e 3,75% para veículo terrestre de passeio, veículo aéreo e aquático e demais veículos não especificados.

Isenções

O governo de Goiás não cobra IPVA de veículos a partir de 15 anos de uso e concede isenção para PCD (Pessoas com Deficiência), ônibus ou micro-ônibus de passageiro de turismo ou escolar, assim como para veículo novo no ano da sua aquisição, adquirido em concessionária goiana, além de redução da base de cálculo concedida às locadoras de veículos. 

Participantes do programa Nota Fiscal Goiana têm desconto de 5% a 10% no imposto, dependendo do valor das compras feitas com a inclusão do CPF nas notas fiscais. (Daniell Alves, especial para O Hoje). 

Veja Também