Fortes chuvas causam estragos e pessoas desabrigadas em municípios do Norte de Goiás

Postado em: 30-12-2021 às 08h00
Por: Maiara Dal Bosco
Força-tarefa segue em Cavalcante, um dos municípios mais atingidos pelas chuvas intensas | Foto: Reprodução

Os fortes temporais que têm atingido o território goiano vêm causando danos e perdas expressivas. A situação em Cavalcante, uma das cidades mais atingidas pelas chuvas, no nordeste do Estado, segue crítica. No início da semana, a Prefeitura Municipal de Cavalcante decretou Estado de Calamidade Pública, já que as chuvas intensas causaram a cheia dos rios que abastecem a região, o que resultou em problemas de acesso às comunidades mais distantes, como as do Vão do Moleque e Vão de Almas. 

Na última terça-feira (28), o Corpo de Bombeiros Militar do Estado de Goiás enviou equipes especializadas para apoiar as ações em Cavalcante e Região. Segundo a Corporação, devido às grandes precipitações hídricas, ocorridas nos últimos dias na região Norte do Estado, houve diversas enchentes, acarretando a destruição de pontes e rodovias, além de transtornos a várias casas e propriedades rurais na região.

“Estamos realizando o monitoramento do Rio Bagagem, das balsas, auxiliando as pessoas no transbordo, onde as pessoas precisam passar aqui para levar mantimentos e água potável. Infelizmente as chuvas continuam e o rio aumentou cerca de quatro, cinco metros de altura. Na terça-feira (28), estávamos aqui presentes onde aquela balsa estava ilhada do lado de lá do rio, e ontem (29) chegamos aqui e nos deparamos com essa situação, o rio aumentou muito a largura dele, dificultando ainda mais o transbordo das pessoas”, afirmou o Tenente do CBMGO, Costa Silva. 

Ajuda do Estado

Para auxiliar as famílias em situação de vulnerabilidade por conta das chuvas, o Governo de Goiás, por meio da Organização das Voluntárias de Goiás (OVG), Gabinete de Políticas Sociais (GPS), Secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa), Agência Goiana de Assistência Técnica, Extensão Rural e Pesquisa Agropecuária (Emater), Secretaria Estadual de Desenvolvimento Social (Seds) e Corpo de Bombeiros, levou alimentos para moradores das comunidades quilombolas do Vão das Almas, Vão do Moleque e do Rio Bonito, em Cavalcante, no Nordeste de Goiás.

Estima-se que cerca de 400 famílias que vivem nessas localidades foram afetadas pelas fortes chuvas que caíram no município, provocaram alagamento e destruíram pontes, deixando muitos desabrigados e isolados. A operação vai distribuir 600 cestas básicas e 600 cobertores da OVG às famílias afetadas pelas chuvas. Por conta da dificuldade de acesso, boa parte das doações será levada de barco até as famílias.

A distribuição dos mantimentos conta com o apoio logístico do Corpo de Bombeiros. “Nossa prioridade é atender as famílias em situação de isolamento e de vulnerabilidade devido às chuvas”, alegou o prefeito de Cavalcante,  Vilmar Kalunga, ao anunciar a chegada das cestas básicas enviadas pelo Governo de Goiás.

Barragens 

O Governo Estadual, por meio da Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad), criou uma força-tarefa para reforçar a vistoria em barragens em Goiás. A medida é decorrente de ações preventivas em meio ao período chuvoso, que resultou em volume pluviométrico acima da média em várias regiões goianas nas últimas semanas. 

Segundo a titular da pasta, secretária Andréa Vulcanis, os donos de barramentos devem seguir atentos quanto à situação da estrutura, se não tem fissura, abaulamento e árvores que possam provocar instabilidades, tornando a barragem mais frágil a situações críticas, no caso um alto volume de água da chuva. Também é preciso atenção com as estruturas de escoamento, uma vez que qualquer entupimento pode diminuir a capacidade de extravasão da água, gerando danos às barragens e risco à população.

Previsão 

Levantamento feito pelo Centro de Informações Meteorológicas e Hidrológicas de Goiás (Cimehgo) aponta que para os primeiros 15 dias de janeiro de 2022 um novo corredor de umidade deve intensificar o volume de chuvas em diversas regiões goianas, o que requer ainda mais atenção do Governo e proprietários de reservatórios nesse período. “É preciso estarmos todos em alerta”, aponta o gerente do Cimehgo, André Amorim. 

Em Niquelânia, o Corpo de Bombeiros se deslocou na última terça até a ponte do Rio São Bento para acompanhar região afetada entre Muquém e o povoado de Buriti Alto. Moradores estão isolados  do outro lado do rio que impossibilita travessia.

Compartilhe: