Após temporal, ponte da GO-020 entre Goiânia e Bela Vista é parcialmente interditada

Supervisor da COMPDEC, Luciano Padilha, ressalta a necessidade de os motoristas se atentarem às mudanças provisórias de tráfego

Postado em: 09-01-2022 às 13h19
Por: Maria Paula Borges
Supervisor da COMPDEC, Luciano Padilha, ressalta a necessidade de os motoristas se atentarem às mudanças provisórias de tráfego | Foto: divulgação

Um afundamento na pista da cabeceira da ponte da GO-020, que passa sobre o Rio Meia Ponte no sentido Bela Vista/Goiânia, neste domingo (9/1), fez com que a via fosse parcialmente interditada. No trecho, uma abertura de um buraco foi registrada após um temporal.

A Agência da Guarda Civil Metropolitana de Goiânia (AGCMG), por meio da Coordenadoria Municipal de Proteção e Defesa Civil (COMPDEC), foi acionada pela Coordenadoria Estadual de Proteção e Defesa Civil (CODEC) para participar de uma ação conjunta com o Corpo de Bombeiros Militar do Estado de Goiás (CBMGO). A ação visa avaliar e monitorar as cabeceiras das pontes sobre o Rio Meia Ponte.

Por ser uma via estadual, o Batalhão de Rodoviário (BPMRGO) e a Agência Goiana de Infraestrutura e Transportes (Goinfra) também foram acionados para garantir agilidade e segurança de quem passa na via.

Continua após a publicidade

Segundo Luciano Padilha, supervisor da COMPDEC, é necessário que os motoristas fiquem atentos às mudanças provisórias no tráfego. “Estivemos no local para dar apoio nas avaliações, também optamos em operar somente em meia pista. Mas por segurança, as duas pistas de rolamento seguem monitoradas constantemente até a intervenção corretiva do afundamento constatado”, frisou Padilha.

O atendimento contou com a coordenação do Chefe de Equipe, o Guarda Civil Municipal (GCM) Nilton Ferreira, e a colaboração dos agentes de Proteção e Defesa Civil, GCM Robson Camilo e GCM Nonato, em apoio ao Capitão Moura e Capitão Neri, do CBMGO. Segundo o Capitão Neri, a ponte não sofreu problema estrutural. “A ponte em si não teve nenhum problema estrutural, o problema foi na contenção que segura o barranco onde a cabeceira se apoia. Com as chuvas, o grande volume de água lavou a terra sob a ponte e causou esse abatimento”, explicou o Capitão Neri.

Veja Também