Carnaval 2022 é cancelado nas principais cidades goianas

Postado em: 15-01-2022 às 09h49
Por: Maiara Dal Bosco
Associação Goiana dos Municípios realizou pesquisa junto aos municípios, que temem piora no cenário epidemiológico. | Foto: Reprodução

Diante do aumento dos casos de Covid-19 registrado nos últimos dias, a realização ou não de festas como o Carnaval voltou a ser questão de debate. Em Goiás, diversos municípios já têm uma definição sobre o assunto: não pretendem promover o Carnaval em 2022, que tem o feriado datado para o dia 1º de março. A informação é da Associação Goiana dos Municípios (AGM), que promoveu uma pesquisa junto às prefeituras municipais de cidades que normalmente promovem o festejo no Estado. 

Entre elas estão os municípios de Aruanã, Caldas Novas, Cidade de Goiás, Goianésia, Jaraguá, Minaçu, Pirenópolis e Porangatu. Segundo a AGM, as administrações destas localidades já decidiram por não promover eventos públicos carnavalescos. Na cidade de Goiás, conforme adiantou a AGM, haverá a permissão de realização de bailes, e, de acordo com o Secretário de Turismo e Desenvolvimento Econômico, Rodrigo Borges Santana, a prefeitura deverá exigir, com rigor, o cumprimento de todas as normas já definidas para a permissão de aglomerações, incluindo a exigência do passaporte de vacina. Apesar disso, o Secretário recomenda a não promoção da festividade.

Em Pirenópolis, o prefeito Nivaldo Melo informou que já está decidido que a prefeitura não promoverá oficialmente o Carnaval. Quanto à autorização para a realização de eventos por meio da iniciativa privada, a decisão será tomada após reunião com o Comitê Municipal de Saúde, responsável pelas questões relacionadas à Covid-19. Para se ter uma ideia, no caso de Pirenópolis, segundo o último boletim divulgado pela Secretaria Municipal de Saúde, no último dia 12, há 537 casos ativos da doença, número mais de dez mil vezes superior ao registrado no primeiro dia de 2022, quando a cidade contava com cinco casos ativos de Covid-19. 

Ainda assim, o aumento de casos foi registrado mesmo com a medida adotada pela prefeitura de não realizar festas públicas em atenção à situação de pandemia, e de restringir a circulação de veículos das 10h do dia 31 de dezembro de 2021 até às 10h do dia 1º de janeiro de 2022, as ruas do Centro Histórico, com o objetivo de deixa-las livres para que as pessoas pudessem trafegar com distanciamento e segurança. 

Caldas Novas, um dos principais destinos turísticos do Estado, seguirá por caminho semelhante à Pirenópolis. A Prefeitura aguarda orientações do Comitê local, embora já tenha decidido que o Poder Público não promoverá a festa. 

Em Minaçu, o prefeito Carlos Alberto Leréia, afirmou que é necessário se precaver diante da situação. “Não podemos correr riscos já que especialistas alertam quanto a possibilidade de um aumento de contaminação pela nova variante da Covid-19, inclusive, podendo gerar novas variantes”, afirmou. Já em Jaraguá, a prefeitura baixou um novo decreto, que entrou em vigor na última terça-feira (11), suspendendo as festas de Carnaval na cidade. Além disso, o documento restringe em 50% a lotação em comércios e em eventos sociais como casamentos e templos religiosos.

O presidente da AGM, Carlos Alberto elogiou a atitude dos prefeitos que optaram pela não realização do Carnaval, classificando-a como sensata. Ele lembra que desde o início da pandemia causada pela Covid-19 os prefeitos goianos têm se dedicado para combater a disseminação da doença, seguindo todas as decisões e orientações das autoridades da saúde e que agora, há a preocupação quanto a um possível agravamento da situação na saúde. Carlos Alberto ressaltou ainda que todos devem continuar adotando as medidas necessárias de prevenção para evitar um agravamento da situação. 

Providências

Nesta semana Senador Canedo também divulgou novo decreto na tentativa de barrar o avanço da Covid-19. Entre as normas, está a autorização do funcionamento de eventos sociais com até 100 pessoas e 50% da capacidade do ambiente, que deverão ser realizados apenas em estabelecimentos destinados a este fim e regulares junto ao município. Já no caso dos bares e restaurantes, as mesas deverão resguardar entre si distância mínima de 1,5 metros e somente será permitido o consumo de alimentos e bebidas por pessoas que estejam devidamente sentadas à mesa. (Especial para O Hoje)

Compartilhe: