Conselho Estadual de Educação autoriza retorno das aulas híbridas após avanço da ômicron em Goiás

A resolução autoriza o Regime Especial de Aulas não Presenciais (REANP) para as instituições públicas e privadas

Postado em: 25-01-2022 às 10h12
Por: Augusto Sobrinho
A resolução autoriza o Regime Especial de Aulas não Presenciais (REANP) para as instituições públicas e privadas | Foto: Reprodução

O Conselho Estadual de Educação em Goiás publicou, nesta segunda-feira (24/01), resolução que orienta escolas públicas e privadas a retornarem ao sistema de aulas não presenciais. A decisão foi tomada devido à nova ascensão de casos da Covid-19, a variante Ômicron e outras doenças respiratórias como gripe e dengue.

A resolução autoriza, em caráter excepcional, o Regime Especial de Aulas não Presenciais (REANP) para as instituições educacionais. Determinar que a matriz curricular adotada respeite a carga horária prevista em Lei e que a frequência e os resultados das atividades avaliativas sejam registrados formalmente.

Com o atual cenário da pandemia em Goiás, o presidente do Sindicato dos Professores do Estado de Goiás (Sinpro), Railton Nascimento, fala que o retorno dos alunos à sala de aula ainda merece cautela. “É inconcebível falar numa volta presencial às aulas no percentual de 100% de presencialidade”, disse.

Continua após a publicidade

Setores educacionais reforçam que os alunos sofreram muito com a falta do dia-a-dia em sala baseados no estudo da Secretaria Estadual de Educação (Seduc), que mostrou que a aprendizagem de estudantes goianos tiveram uma queda de 16 pontos durante a pandemia. Além disso, mostram-se otimistas com a vacinação de crianças e adolescentes, que teve início na última segunda-feira (17).

Veja Também