Vereador da cidade de São Miguel do Araguaia é acusado de cobrar propina por vagas no SUS

Vereador, servidor público e motorista são investigados

Postado em: 31-01-2022 às 09h12
Por: Redação
Vereador, servidor público e motorista são investigados | Foto: Reprodução

Por Alzenar Abreu

A Prefeitura de Goiânia divulgou em nota, ontem, que a guarda civil metropolitana de Goiânia conduziu à Central Geral de Flagrante da Polícia Civil o agente público estadual Ailtom Lima e o motorista Wander Batista sob suspeita de crimes de extorsão e tráfico de influência. O grupo teria sido acusado de cobrar R$ 2 mil para vaga de paciente junto ao Hospital Geral de Goiânia (HGG). O esquema contava com a ajuda de um vereador da cidade de São Miguel do Araguaia (cujo nome não foi divulgado a título de investigação).

Em princípio, a senhora que mora em São Miguel do Araguaia, pediu ajuda para vaga e considerou que o trâmite seria legal. Porém, ao chegar em Goiânia para aguardar

Continua após a publicidade

atendimento, passou mal e seguiu para o Cais FinSocial. Onde lá,foi informada pelo autores que teria de pagar R$ 2 mil pela vaga no Hospital Geral de Goiânia (HGG).

Em nota, a Secretaria de Estado da Saúde Goiás (SESGO) que é responsável pelo HGG informou que não foi notificada sobre o caso e aguarda os desdobramentos das investigações para manifestar-se.

Finsocial 

A Operação da 6ª Unidade de Comando Regional – UCR e das Rondas Ostensivas Municipal Urbana – ROMU foi deflagrada depois que a administração do CAIS Finsocial fez a denúncia de um caso suspeito no interior da Unidade. Já na emergência do CAIS Finsocial, a equipe médica recomendou o encaminhamento da paciente para um procedimento cirúrgico.

Ao constatar a rapidez da liberação da vaga, junto ao sistema municipal de saúde, e depois de receber uma ligação de cobrança de valores pela facilitação, a mãe da paciente informou o caso à administração do CAIS, que chamou a Guarda Civil Metropolitana.

Ao ser preso em flagrante, o cobrador Wander disse que era o motorista responsável pela coleta do dinheiro. E que ele mesmo faria a entrega ao responsável pela facilitação dos encaminhamentos médicos. No local marcado para e entrega dos pagamentos a GCM flagrou o servidor público estadual com vários documentos pessoais e fichas de encaminhamentos semelhantes e conduziu o cidadão à Central de Flagrantes Polícia Civil.

Veja Também