Entregadores do iFood realizam manifestação e dão início a greve da categoria em Goiânia

Os entregadores requerem melhores taxas, fim de rotas duplas e triplas e dos agendamento

Postado em: 11-02-2022 às 14h36
Por: Augusto Sobrinho
Os entregadores requerem melhores taxas, fim de rotas duplas e triplas e dos agendamento | Foto: Victor Silva/Arquivo Pessoal

Os entregadores do aplicativo iFood realizam, nesta sexta-feira (11/01), manifestação para dar início a greve da categoria em Goiânia e Aparecida. Sem determinar prazo de retorno das atividades, os motoboys se reuniram no Cepal do Jardim América e, a partir das 9h, percorreram diversas ruas da capital para cobrar melhorias no trabalho desempenhado por eles.

Além de Goiânia e Região Metropolitana, entregadores de Piracicaba, em São Paulo (SP), Manaus no Amazonas (AM) e da capital Rio de Janeiro (RJ) se unem contra diversas empresas de delivery por aplicativo. Segundo os trabalhadores, o foco principal é a empresa iFood, mas que a manifestação também servirá de exemplo para as concorrentes que atuam na mesma área.

As reivindicações desses trabalhadores são: a melhoria no valor das taxas pagas pelo aplicativo, o fim de bloqueios indevidos, o fim da restrição de áreas para recebimento de pedidos de entregas e o fim das rotas duplas, que cobra uma taxa para realizar a entrega de dois ou três pedidos. Além disso, os entregadores reclamam da dificuldade de comunicação com a empresa.

Continua após a publicidade

Em resposta ao G1, o iFood disse que respeita a manifestação e que mantém o diálogo aberto com os entregadores para buscar melhorias e oportunidades para os profissionais. A empresa disse que já adotou algumas medidas, como os reajustes da taxa mínima e quilômetro percorrido em 2021, a criação de código de validação da entrega e seguros contra acidentes pessoais.

Veja Também