Criança de 10 anos morre após engolir balão de festa em Luziânia; entenda como prevenir

O caso está sendo apurado pela Polícia Civil de Goiás, e a equipe planeja ouvir a mãe de Pedro Henrique Silva e testemunhas que estavam presentes no momento do acidente

Postado em: 15-02-2022 às 17h27
Por: Eduarda Albuquerque
Pedro Henrique Silva, estava brincando com outras crianças na casa de uma amiga da mãe quando o acidente aconteceu | Foto: Reprodução

No último sábado (12/2), um menino de 10 anos acabou morrendo após engolir acidentalmente um balão de festa em Luziânia, em Goiás, cidade satélite do Distrito Federal. Pedro Henrique Silva, estava brincando com outras crianças na casa de uma amiga da mãe quando o acidente aconteceu.

Testemunhas contam que tudo aconteceu quando Pedro estava brincando enquanto ajudava a mãe a encher os balões da festa do amigo que aconteceria no dia seguinte. Ao tentar encher o balão, o garoto teria engolido o objeto de plástico. A criança chegou a passar mal e a desmaiar, antes de ser encaminhado à Unidade de Pronto Atendimento.

“Ele correu na sala já abrindo os braços, pedindo socorro. Só que a amiga da mãe dele achou que ele estava brincando”, dia Cláudio Gomes, cunhado da mãe da criança.

Continua após a publicidade

O caso está sendo apurado pela Polícia Civil de Goiás, e a equipe planeja ouvir a mãe de Pedro Henrique Silva e testemunhas que estavam presentes no momento do acidente, para analisar se alguém pode ser indicado como responsável pelo ocorrido.

Como agir quando uma criança ingerir um balão?

De acordo com o Capitão Leonardo Castro, do Corpo de Bombeiros Militar do Estado de Goiás, os engasgamentos são eventos que acometem bebês e crianças entre a faixa etária de 0 a 3 anos. Esse acontecimento, para os bebês, geralmente se relaciona ao ato de mamada.

Ou seja, quando a criança mama e vai regurgitar, pode se asfixiar com o leite materno até o primeiro ano de idade. A partir do primeiro ano de idade, que é quando a criança inicia uma nova etapa de introdução alimentar e está aprendendo a mastigar e deglutir, pode se engasgar com alimentos sólidos. Doces, balas e chicletes podem ocasionar engasgamentos. Brinquedos também podem gerar quadros de engasgamento e asfixia.

Para o Capitão, independentemente do tipo e tamanho do corpo estranho na via aérea da criança, a orientação é que antes de tentar tirar o objeto da garganta, ou realizar qualquer manobra de obstrução, ligar para a Central do Corpo de Bombeiros através do número 193.

Via telefone os operadores poderão repassar orientações de manobras de desobstrução enquanto as guarnições estarão a caminho no intuito de assumir a situação de asfixia ou engasgamento.

Outro caso

Em janeiro desse ano, outro caso em que uma criança morreu ao ingerir um balão de festa foi registrado. A criança de sete anos faleceu após engasgar com um balão, em Anápolis, cerca de 55 km de distância de Goiânia. Segundo a Secretaria Municipal de Saúde da cidade, o menino foi levado a duas unidades de saúde até a confirmação do óbito.

Balão como principal causa de asfixia em crianças

Desde meados de 1995, o item número um das festas e celebrações infantis está no ranking dos principais causadores de asfixia em crianças. Nos anos 90, casos como os das crianças citadas acima eram muito comuns, principalmente nos Estados Unidos.

Tanto que, a Associação Médica Americana (AMA), sugeriu para os responsáveis legais por crianças atenção redobrada para balões e objetos de látex (como luva, etc), e também pediu o fim da produção de bexigas na época.

Segundo pesquisas da Universidade de Minnesota, entre dez crianças que morrem por asfixia, três delas morrem asfixiadas por látex. O grande problema do látex, é que ele é um material aderente, que quando entra em contato com algo molhado ou úmido, pode grudar e se tornar difícil de remover da garganta. Até o momento, não existe nenhuma medida que possa ser tomada para que o látex não seja letal, a não ser evitar o contato de crianças com o material.

Veja Também