“Sem motivos”: Homem mata morador de rua com pauladas enquanto ele dormia em Porangatu

Após o Instituto Médico Legal (IML) realizar o exame cadavérico, constatou que o morador de rua morreu no local após levar três pauladas na cabeça

Postado em: 17-02-2022 às 16h19
Por: Eduarda Albuquerque
O delegado Danilo Wendel comunicou que o suspeito pelo crime foi preso nessa quinta e será interrogado | Foto: Reprodução

Nesta quinta-feira (17/2), no norte goiano, um morador de rua foi morto a pauladas em Porangatu. Câmeras de segurança filmaram o ato de violência, e o delegado Danilo Wendel comunicou que o suspeito pelo crime foi preso nessa quinta e será interrogado.

Após o Instituto Médico Legal (IML) realizar o exame cadavérico, constatou que o morador de rua morreu no local após levar três pauladas na cabeça.

Ao lado da vítima, outro morador de rua dormia junto na área externa de uma loja de baterias de carro, até que, segundo o que foi registrado, um terceiro indivíduo surge com um pedaço de pau na mão e acaba atacando o morador.

Continua após a publicidade

A testemunha que estava dormindo ao lado diz que não foi agredida, que estava dormindo e não sabe o que pode ter motivado o ataque.

Aporofobia                                                                                                      

De modo geral, a palavra aporofobia define a aversão, o medo e o desprezo aos pobres e desfavorecidos financeiramente. A terminologia se tornou um neologismo no Brasil, e se origina das palavras gregas á-poros (pobres) + fobos (medo).

A palavra ganhou seu espaço social após as denúncias feitas pelo padre Júlio Lancelloti, responsável pela Pastoral do Povo de Rua. Em suas redes sociais, o padre postou fotos onde mostra elementos da “arquitetura antipobres”, que impede a estadia, o descanso ou a passagem de pessoas em situação de rua.

“Grades, dutos de água, pedras pontiagudas. Há os que querem disfarçar com vasos e com paisagismo”, diz ele para Ecoa.

Veja Também