Esgoto irregular próximo a antenas de alta tensão preocupa moradores em Goiânia

Erosão segue avançando em direção às torres de alta tensão, que apresentam risco de queda

Postado em: 22-02-2022 às 08h49
Por: Maiara Dal Bosco
Erosão segue avançando em direção às torres de alta tensão, que apresentam risco de queda | Foto: Reprodução

Erosões próximas a torres de alta tensão têm preocupado moradores do Residencial Vale do Araguaia, região leste de Goiânia. De acordo com os moradores, o esgoto lançado pela Saneago no córrego Água Branca seria o principal responsável pela erosão, que segue avançando em direção às torres de alta tensão, que apresentam risco de queda diante da situação.  

Apesar de haver construções para contenção de barrancos, nas encostas do córrego e próximas às antenas, os moradores alertam que os desmoronamentos continuam acontecendo e que a situação apresenta risco à saúde. “O esgoto lançado pela Saneago no córrego Água Branca abriu uma erosão e as torres de alta tensão estão com risco de queda, pois a erosão está avançando em cima delas. As duas torres de alta tensão, se caírem, gerarão problemas em todo o quarteirão. Pode virar uma tragédia”, afirma um morador do Setor.

Para entender melhor os riscos apresentados pelas erosões, a reportagem conversou com o engenheiro ambiental e conselheiro estadual do Meio Ambiente, Germano Augusto de Oliveira. Ele explica que esse tipo de erosão, caso não conte com uma contenção capaz de evitar seu avanço, a ação realmente pode causar uma instabilidade no solo, o que, com o passar dos anos, afetará a estabilidade da base da torre de energia.

Continua após a publicidade

“É importante que os órgãos públicos, em especial a concessionária, faça a contenção da erosão. O ideal também seria acionar a Agência Municipal do Meio Ambiente (Amma), para verificar quem são os responsáveis por essa atividade para poder recuperar o córrego. Outra medida para garantir a estabilidade das torres, seria a sondagem de solo, garantindo que as estruturas, ou seja, a fundação das torres não sofram qualquer tipo de abalo”, destaca Oliveira.

O especialista alerta que, para evitar que acidentes ocorram no local, o ideal é que a população seja informada dos riscos. “É importante também que a área seja isolada, com placas de sinalização. Além disso, a fiscalização deve se deslocar para a região, com o objetivo de verificar o tamanho do dano, bem como determinar as responsabilidades para a sua reparação”, pontua o engenheiro ambiental. Segundo o engenheiro, o problema poderia ter sido evitado com estudos preliminares para a instalação das torres.

Responsabilidade

Questionada se há previsão de obras no local, a Prefeitura de Goiânia informou, por meio da Secretaria Municipal de Infraestrutura Urbana (Seinfra), que a manutenção das torres de alta tensão é de responsabilidade da prestadora de serviço e que, por questão de segurança, a pasta só pode entrar em áreas como a citada, mediante acompanhamento de profissionais da Companhia.

“Com relação a ponte da Avenida Aracy Passos, no Residencial Vale do Araguaia, está sendo feito um estudo técnico para a solução mais rápida e com qualidade para segurança da população. Importante ressaltar que essa já é uma obra considerada prioritária e após a conclusão dos estudos iniciaremos a obra com a retirada da parte danificada e a instalação das peças pré-moldadas no novo encabeçamento a ser construído no período de estiagem”, diz o comunicado.

A Agência Municipal do Meio Ambiente (Amma) também informou, por meio de nota, que, referente ao Residencial Vale do Araguaia e denúncias que envolvem erosões e lançamento de esgoto, a Agência realizou o parecer técnico, que por meio da vistoria, foi constatado o lançamento irregular de esgoto, o que vem causando erosões na região, que coloca em risco as torres de alta tensão. Segundo a Amma, a concessionária já havia sido notificada via ofício para que tome providências para garantir a segurança das torres.

 “Já a Saneago foi autuada e notificada para cessar imediatamente o despejo irregular de esgoto. A Saneago, caso não cumpra a determinação, estará sujeita a nova autuação”, afirma o comunicado.

Procurada pela reportagem, a Companhia Saneamento de Goiás S/A (Saneago) informou que está direcionando equipes ao local para avaliar a situação. A Saneago frisou ainda que, no ranking da Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental (Abes), a Saneago está classificada como uma das melhores companhias pelo empenho na universalização, com 97,5% de atendimento com água tratada e 66,1% com esgotamento sanitário, índices acima da média nacional.  

A reportagem também entrou em contato com a EDP, responsável pelas torres de energia do local, segundo informou a Enel, para verificar se há risco de desabastecimento elétrico, ou se a empresa vem realizando alguma ação preventiva para evitar acidentes. A EDP adquiriu participação de 100% das ações da Celg Transmissão S.A (Celg-T), em leilão realizado em outubro de 2021 pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).

À reportagem, a EDP ainda informou que enviou uma equipe ao local para vistoriar as fundações da referida torre e que não há risco iminente de queda da estrutura ou desabastecimento. A Companhia acrescenta que faz a inspeção regular de seus ativos para garantir a segurança e a confiabilidade no fornecimento de energia.

Veja Também