Goiás registra queda na taxa de desemprego pelo terceiro semestre consecutivo

Dados são da PNAD Contínua e foram divulgados pelo IBGE nesta quinta-feira (24)

Postado em: 24-02-2022 às 18h00
Por: Maria Paula Borges
Dados são da PNAD Contínua e foram divulgados pelo IBGE nesta quinta-feira (24) | Foto: reprodução

Pelo terceiro trimestre consecutivo, Goiás registrou queda na taxa de desemprego. No quarto trimestre de 2021, o índice foi de 8,7%, menor que a do anterior, que foi de 10%, e menor que o mesmo período de 2020, de 12,7%. Os dados são da Pesquisa Nacional por Amostra Domiciliar Contínua (PNAD Contínua), divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta quinta-feira (24/2).

O fechamento de 2021, com índice de 11,3%, também mostra redução no número de desempregados em relação a 2020. No último trimestre do ano passado, a média de desemprego do país foi de 11,1%.

Segundo o governador Ronaldo Caiado, a expectativa é que 2022 seja o ano “da retomada, da virada, de gerar emprego no nosso Estado”. Além disso, Caiado afirma que o cenário é de “esperança ao povo goiano”, após o período mais crítico da pandemia, sobretudo depois da adesão de Goiás ao Regime de Recuperação Fiscal (RRF), aceito pelo governo federal no final de 2021.

Continua após a publicidade

O governador ressalta ainda o equilíbrio das contas públicas, melhoria na quantidade dos gastos e o investimento em áreas essenciais e protagonistas na reestruturação do Estado, empreendidos pela atual gestão. “Agora, é hora de mostrarmos todo o potencial de Goiás, com a certeza de que o dinheiro público está sendo bem aplicado. As pessoas estão sentindo a mudança na vida delas”, afirma.

Conforme os dados coletados, em Goiás, a população desempregada foi estimada em 332 mil pessoas, com queda de 44 mil em relação ao trimestre anterior, que registrou 375 mil pessoas, representando queda de 11,6%. Em relação ao mesmo trimestre do ano anterior, que registrou 456 mil pessoas, houve redução de 124 mil pessoas desempregadas, representando 27,2%.

De acordo com a pesquisa, Goiás possuía 3,79 milhões de pessoas na força de trabalho no quarto trimestre de 2021, aumento de 1,3%, ou seja, 47 mil pessoas, em relação ao trimestre anterior. Vale ressaltar que a força de trabalho é composta por ocupados – incluindo subocupados por insuficiência de horas – e desocupados, e a taxa de desocupação é o percentual de pessoas desocupadas em relação às pessoas na força de trabalho durante o período analisado.

A pesquisa mostrou ainda que o emprego formal, ou seja, com Carteira de Trabalho assinada, se manteve estável na comparação entre o terceiro e quarto trimestre de 2021.

O setor privado registrou aumento de 44 mil trabalhadores, os empregados domésticos com carteira assinada aumentaram em 4 mil e a categoria dos trabalhadores por conta própria com Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica (CNPJ) teve alta de 26 mil pessoas. Além disso, houve ganho de 2 mil novos empregadores com pessoa jurídica constituída. Com isso, no total, cerca de 2,04 milhões de pessoas estavam ocupadas formalmente no período analisado pela pesquisa.

O setor que mais se destacou no aumento de vagas de trabalho foi o de construção, em que 15,2% de pessoas ocupadas estão nesse grupo, superando os 271 mil no terceiro trimestre para 313 mil pessoas no quarto trimestre do ano passado. Os demais grupos apresentaram estabilidade estatística.

A taxa de informalidade também sofreu queda, passando de 41,3% no terceiro trimestre para 40,9%, no quarto trimestre do ano passado.

Veja Também