Em 2 anos, Goiás distribuiu 194 mil refeições para refugiados e pessoas em situação de rua

Trabalho assistencial é feito desde março de 2020 pela OVG em parceria com Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social (Seds) e prefeituras de Goiânia, Luziânia e Jaraguá

Postado em: 28-02-2022 às 16h45
Por: Carlos Nathan Sampaio
Trabalho assistencial é feito desde março de 2020 pela OVG em parceria com Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social (Seds) e prefeituras de Goiânia, Luziânia e Jaraguá | Fotos: Aline Cabral

O Governo de Goiás, por meio da Organização das Voluntárias de Goiás (OVG), distribuiu 194 mil marmitas desde o início da pandemia de Covid-19. Os beneficiários são pessoas que vivem em situação de rua e refugiados venezuelanos, entre eles, crianças e gestantes. O trabalho assistencial é feito em Goiânia, em Luziânia, no Entorno do Distrito Federal e em Jaraguá, na Região do Vale do São Patrício, desde novembro de 2021.

A primeira-dama Gracinha Caiado, presidente de honra da OVG e coordenadora do Gabinete de Políticas Sociais (GPS), afirmou que a crise sanitária agravou as condições de vida da população vulnerável. “O governador Ronaldo Caiado pediu que redobrássemos o cuidado e a atenção com essas pessoas. Assistentes sociais da OVG as acompanham e repassam orientações sobre como ter acesso a outros serviços como a retirada da segunda via de documentos e de atendimentos de saúde”, frisa.

As marmitas são preparadas nas unidades do Restaurante do Bem da OVG, com o acompanhamento de nutricionistas que elaboram um cardápio nutritivo e variado. As refeições, com direito a fruta ou doce de sobremesa, são entregues aos venezuelanos, em Goiânia, por equipes da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social (Seds). Já as refeições destinadas para as pessoas em situação de rua na capital, Luziânia e Jaraguá são distribuídas em parceria com as prefeituras locais.

Continua após a publicidade

“Realizamos uma união de esforços no combate à fome”, diz a diretora-geral da OVG, Adryanna Melo Caiado. Para os refugiados venezuelanos, já foram servidas mais de 95 mil refeições e, para a população em situação de rua, o número ultrapassa 98 mil. “Com cada um fazendo um pouco, fazendo sua parte, amenizamos as dores de quem tem fome, de quem precisa e está longe da família”, completa.

Veja Também