“Clube de Apoiadores”: lojistas podem doar roupas não vendidas para famílias carentes

O projeto é idealizado pelo Clube de Costura, Ministério Público do Trabalho e Secretaria Municipal de Direitos Humanos

Postado em: 04-03-2022 às 16h55
Por: Augusto Sobrinho
O projeto é idealizado pelo Clube de Costura, Ministério Público do Trabalho e Secretaria Municipal de Direitos Humanos | Foto: Reprodução

O Clube de Costura, junto ao Ministério Público do Trabalho de Goiás (MPT-GO) e a Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Políticas Afirmativas (SMDHPA), lançam projeto para beneficiar pessoas em situação de vulnerabilidade. O objetivo do ‘Clube de Apoiadores’, será engajar marcas e empresas em ações de inclusão e tornar os lojistas da Região da 44 cada vez mais atentos às questões sociais e do meio ambiente.

A Gerente do Clube de Costura, Rogelia Pinheiro, reforça o papel das relações comerciais na promoção do bem social e explica como deve funcionar o projeto. “O lojista pode ajudar de duas formas: colaborando com um valor simbólico anual e com doações de produtos de sua loja para projetos de inclusão social ou doações de retalhos evitando o descarte e assim contribuindo com a sustentabilidade”, explica.

Além dos Cursos de Costura realizados para pessoas em situação de vulnerabilidade, os produtos que não tiveram saída na loja serão distribuídos para famílias carentes pela Secretaria e os retalhos, tecidos e/ou aviamentos, irão para comunidades que utilizam esses insumos. A da Dra. Cristina Lopes, da SMDHPA, destaca que a ajuda de cada lojista é fundamental.

Continua após a publicidade

“Precisamos nos conscientizar e buscar práticas mais sustentáveis dentro do processo produtivo, neste projeto vislumbrei soluções nobres e eficazes para a diminuição e reaproveitamento de resíduos na confecção. Se faz necessário uma ação conjunta e social, onde cada um, de uma maneira consciente, podemos fazer um bem maior ao planeta e a sociedade”, afirma Isabella Pimentel, lojista do Mega Moda Shopping e Park.

Veja Também