Diretor de colégio militar é afastado após alunos carregarem 6 mil telhas e o idolatrarem dentro de piscina

O superintendente de Segurança Escolar desaprovou as situações e naturalizou a troca de direção

Postado em: 11-03-2022 às 16h44
Por: Augusto Sobrinho
O superintendente de Segurança Escolar desaprovou as situações e naturalizou a troca de direção | Foto: Reprodução

O tenente-coronel da Polícia Militar (PM) e diretor do Colégio Estadual da PM Colina Azul, em Aparecida de Goiânia, Clécio Teles, foi enviado para a reserva remunerada, na última segunda-feira (07/03). A decisão foi tomada após viralizar vídeos dos estudantes em cima do telhado da escola depois de terem carregado 6 mil telhas e dentro da piscina o idolatrando.

A saída do militar da direção foi anunciada no Diário Oficial do Estado e assinada pelo secretário estadual de segurança pública, Rodney Rocha Miranda. Nas redes sociais, o tenente confirmou que deixaria o colégio e que “já está no refúgio da Reserva Remunerada”. O Ministério Público do Estado de Goiás (MPGO) está apurando os vídeos desde o dia 24 de fevereiro.

Quando os vídeos viralizaram na internet, a Polícia Militar não se posicionou sobre as situações e não se manifestou em relação ao afastamento do tenente. Porém, o superintendente de Segurança Escolar e Colégio Militar da Secretaria Estadual de Educação, coronel Mauro Ferreira, criticou a postura do oficial e disse que “essas mudanças são naturais no comando de ensino”.

“A doutrina que ele estava inserindo era para formação de militares, com viés que não é o da Secretaria de Educação para o estudante. Recentemente, ele convenceu alunos e pais de que, para ter amor à escola, os estudantes precisam carregar tijolos. Alunos têm que ir à escola para aprender e ter conhecimento. “Se tratar o aluno direito e aplicar o conhecimento a ele, o aluno terá amor à escola”, afirmou.

Veja Também