PM’s são denunciados pelo MPGO por matarem quatro homens na zona rural de Cavalcante

Segundo o órgão, os agentes ainda queimaram provas e levaram as vítimas já mortas para o hospital

Postado em: 15-03-2022 às 12h36
Por: Augusto Sobrinho
Segundo o órgão, os agentes ainda queimaram provas e levaram as vítimas já mortas para o hospital | Foto: Reprodução

O Ministério Público de Goiás (MPGO) denunciou, nesta segunda-feira (14/03), sete policiais militares pela morte de quatro pessoas em janeiro deste ano em uma chácara de Cavalcante, no nordeste do Estado. Quando o crime aconteceu, a Polícia Militar (PM) afirmou que recebeu uma denúncia sobre uma plantação de maconha e que as vítimas eram suspeitas de tráfico de drogas.

Entretanto, segundo o MPGO, os policiais agiram com crueldade ao atirarem quando uma das vítimas já estava caída ao chão e, além disso, queimaram a vegetação do local para destruir as provas, recolheram quase todas as cápsulas das armas da corporação e, por fim, ainda levaram os quatro homens já mortos para o Hospital Municipal de Colinas do Sul.

“Os policiais militares, apesar de as vítimas já estarem subjugadas e incapazes de qualquer reação, começaram a efetuar diversos disparos de arma de fogo contra elas, impossibilitando, assim, qualquer chance de defesa por parte destas”, afirmam os promotores de Justiça que assinam a denúncia.

Continua após a publicidade

As vítimas são Alan Pereira Soares, Ozanir Batista da Silva, Antônio Fernandes da Cunha e Salviano Souza Conceição, que, de acordo com a Polícia Civil (PC), não tinham passagens criminais.

Foram denunciados os sargentos Aguimar Prado de Morais e Mivaldo José Toledo (sargento), os cabos Jean Roberto Carneiro dos Santos e Luís César Mascarenhas Rodrigues e os soldados Welborney Kristiano Lopes dos Santos, Eustáquio Henrique do Nascimento e Ítallo Vinícius Rodrigues de Almeida. Os PM’s faziam parte do Grupo de Patrulhamento Tático (GPT) do 14º Batalhão da Polícia Militar do Estado de Goiás, em Niquelândia.

Veja Também