Cliente do McDonald’s em Goiânia denuncia ataque homofóbico de funcionários da unidade

De acordo com relato, rapaz teria sido atingido por um sapado e ouvido risadas enquanto fazia pedido no autoatendimento da loja que fica na Avenida T-63, no Setor Nova Suíça

Postado em: 22-03-2022 às 17h24
Por: Augusto Diniz
De acordo com relato, rapaz teria sido atingido por um sapado e ouvido risadas enquanto fazia pedido no autoatendimento da loja que fica na Avenida T-63, no Setor Nova Suíça | Foto: Reprodução

“Continuamos finalizando nosso pedido e fazendo o pagamento. Enquanto eu ajudava o Marcus a finalizar o pedido dele, um sapato simplesmente voou de dentro da cozinha e acertou no meu braço.” Poderia muito bem ser um sonho ou uma fanfic – história fictícia criada por um fã de um artista ou conteúdo -, mas as frases fazem parte do relato de Fellipe Augusto, jovem de Goiânia que denunciou um suposto ataque homofóbico ocorrido na madrugada de segunda-feira (21/3) na loja do McDonald’s da Avenida T-63, no Setor Nova Suíça, em Goiânia.

De acordo com o relato de Fellipe no Twitter, ele e quatro amigos resolveram entrar no McDonald’s para comer e foram ao ponto de autoatendimento da loja para fazer o pedido do lanche. “Enquanto isso, tinha mais dois homens rindo muito alto lá dentro”, descreveu o rapaz. Em seguida, foi quando um dos funcionários da franquia de fast-food teria arremessado um sapato na direção de Fellipe.

Na hora, o rapaz disse que teria se assustado, “olhei para o Marcus [amigo] sem entender nada”. “Os dois rapazes na hora começaram a rir e o gerente da unidade começou a pedir desculpa rindo, pois o sapato era dele e ‘não era pra ter acertado'”, teria ouvido o jovem do funcionário da franquia após ter sido atingido pelo calçado.

Continua após a publicidade

No relato de Fellipe, as demonstrações de suposta homofobia continuaram. “O gerente se aproximou e, mais uma vez, pediu desculpa em tom de brincadeira. Enquanto isso, os dois rapazes falaram para ele ‘acertar de novo’ e continuaram rindo. O gerente foi para a parte de fora do McDonald’s e os dois rapazes foram até a porta para rir e falar com ele.”

Tentativa de diálogo

O rapaz escreveu no Twitter que tentou conversar com o gerente da loja. “[Eu] Estava muito nervoso com a situação.” Mas não teria adiantado muito. “O gerente começou a querer chorar e falar que perderia o emprego pois estava errado. Tentou justificar de inúmeras formas e falar que o sapato dele estava ‘muito folgado’. Só que a distância entre a cozinha e o autoatendimento era grande, com alguns obstáculos no meio do caminho”, descreveu o supostos deboche do funcionário do McDonald’s diante a situação.

Depois do ocorrido, Fellipe disse que entrou em contato com o responsável pela unidade da Avenida T-62 para informar sobre a agressão sofrida. “O boletim de ocorrência será feito com um ofício para solicitação das imagens das câmeras de segurança e dar andamento da forma que for necessária. Não vou aceitar essa situação”, explicou no Twitter.

O rapaz chegou a marcar o perfil do McDonald’s na publicação, mas, aparentemente, não obteve resposta. “Mais uma vez fica o medo de andar na rua e passar por esses típicos casos de homofobia por aí”, lamentou Fellipe no relato.

Resposta do McDonald’s

Em nota, o McDonald’s informou ao jornal O Hoje que tomou conhecimento do caso e “está apurando os fatos”. “[A empresa] Reforça que é contrária a qualquer forma de violência e discriminação em seus restaurantes, prezando sempre por um ambiente inclusivo e respeitoso para todas as pessoas”, declarou a rede de fast-food.

Veja Também