Adufg-Sindicato publica nota de repúdio sobre prisão de professores da rede municipal em Goiânia

Postado em: 31-03-2022 às 15h29
Por: Carlos Nathan Sampaio
"Direito à liberdade de expressão é fundamental em uma sociedade democrática e justa", diz trecho da nota | Foto: reprodução

A diretoria do Adufg-Sindicato divulgou nesta quinta-feira (31/03), nota de repúdio contra a prisão de dois professores da rede municipal de ensino de Goiânia. Eles foram detidos quando cobravam do prefeito Rogério Cruz o agendamento de uma data para negociação de reajuste salarial. “Direito à liberdade de expressão é fundamental em uma sociedade democrática e justa”, diz trecho da nota.

Confira, abaixo, a íntegra do posicionamento da entidade:

A diretoria do Sindicato dos Docentes das Universidades Federais de Goiás (Adufg-Sindicato) manifesta seu total repúdio à prisão arbitrária de dois professores da rede municipal de ensino de Goiânia, durante manifestação na inauguração do CMEI Vila Areião. Trata-se de mais um duro ataque ao direito de livre manifestação dos docentes, que aguardavam o prefeito Rogério Cruz para exigir o agendamento de uma data para negociação de proposta de reajuste salarial.

Renato Regis e Hugo Rincon foram levados pela Guarda Civil Metropolitana (GCM) sem que tivessem cometido qualquer crime. A ação da GCM constrange toda a população e cria um clima de terror por meio da truculência.

Para o Adufg-Sindicato, o direito à liberdade de expressão é fundamental em uma sociedade democrática e justa. Não preservar esse direito leva a construção de uma sociedade baseada no medo, de pensamento único e remontado à situações que levaram outras sociedades rumo ao fascismo. Portanto, a diretoria do Adufg-Sindicato pede a imediata libertação dos dois professores.

Goiânia, 31 de março de 2022

Diretoria do Sindicato dos Docentes das Universidades Federais de Goiás

Compartilhe: