“Não dormi direito à noite” afirmou entregador de app que foi ameaçado por Delegada em Goiânia

Postado em: 09-04-2022 às 12h27
Por: Alexandre Paes
De acordo com o homem, a delegada começou a xingá-lo e sacou uma arma contra ele. “Eu virei as costas, com ela gritando que ia me prender. Está tudo filmado pelas câmeras”

Uma delegada da Polícia Civil (PC) é suspeita de ter sacado uma arma e ameaçado um entregador de comida por aplicativo na noite desta sexta-feira (8/4), em Goiânia. O caso, que aconteceu por volta das 20h30, no Setor Bueno, e teve início após uma confusão com nomes na hora de confirmar o código da entrega.

Segundo o entregador, a delegada estava no hall de entrada do condomínio, aguardando pedido, quando ele chegou ao prédio. Contudo, ele compareceu para entregar encomenda de outra pessoa, cujo nome é semelhante ao da policial. “Quando pedi o código de segurança, ela falou, mas não estava dando certo. Quando avisei que ‘não batia’ ela, toda arrogante, começou a perguntar ‘o que você quer que eu faça?’”, explicou o entregador.

De acordo com o homem, a delegada começou a xingá-lo e sacou uma arma contra ele. “Ela pegou o celular com raiva e colocou bem perto do meu rosto. Na hora eu fiquei nervoso, peguei o celular e mostrei para ela. Foi quando ela viu que o nome da minha cliente era outro”, contou. “Eu virei as costas, com ela gritando que ia me prender. Está tudo filmado pelas câmeras”.

Após o porteiro do prédio apontar quem seria a verdadeira dona do pedido, o entregador subiu ao apartamento da cliente e contou à mulher o que tinha acontecido no hall de entrada. Indignada, a cliente chamou a polícia. “A cliente que era dona do pedido tem um filho especial, por isso não podia descer para pegar a entrega”, afirmou o homem.

“A delegada ainda disse para os policiais que eu apontei uma faca para ela. Eu disse para eles me revistarem, pois nem faca eu carrego comigo”, continuou o entregador. “Eu estava apenas trabalhando para sustentar minha família, não merecia passar por isso. Agora fico com medo de acontecer alguma coisa, não consegui dormir direito à noite”, diz.

Após o ocorrido, o entregador foi encaminhado para prestar depoimento na Central de Flagrantes. Segundo a Polícia Civil, o caso será apreciado pela corregedoria da corporação na segunda-feira (11/4).

Compartilhe: