Secretaria de Saúde inicia campanha para combater o mosquito da dengue e chikungunya

Os casos em Goiás cresceram expressivamente; a SES-GO vincula a intensificação dos casos à baixa adesão da população em fazer a limpeza necessária

Postado em: 14-04-2022 às 13h36
Por: Jennifer Neves
Os casos em Goiás cresceram expressivamente; a SES-GO vincula a intensificação dos casos à baixa adesão da população em fazer a limpeza necessária | Foto: Reprodução

A Secretaria de Estado da Saúde de Goiás (SES-GO) iniciou, na última terça-feira (12/04) campanha para combate à dengue, dentre elas. As ações envolvem o envio de equipamentos aos municípios e conscientização da população. A discussão começou em 2021, quando houve aumento expressivo dos casos de dengue e chikungunya, transmitidas pelo mosquito Aedes aegypti, na Região Metropolitana de Goiânia. 

Somente nos três primeiros meses de 2022, o avanço da dengue no estado chegou a ser o segundo maior do Brasil, em números de mortes. Até o momento, Goiás já tem 87.042 casos de dengue notificados e 39.874 confirmados, o que representa um aumento de 295,32%.

Enquanto que os casos registrados de Chikungunya passaram de 48 para 562, entre 2020 e 2021. Até o final do ano passado, essa variação representou um aumento de 1.070% das notificações da doença. 

Continua após a publicidade

A SES-GO vincula a intensificação dos casos por conta da baixa adesão da população em fazer a limpeza dos quintais, eliminando qualquer tipo de objeto, vasilha ou utensílio que acumule água parada.

Para controlar a proliferação do mosquito é preciso evitar água parada, em qualquer época do ano, mantendo bem tampado tonéis, caixas e barris de água, caixas d’agua; acondicionar pneus em locais cobertos; remover galhos e folhas de calhas; não deixar água acumulada sobre a laje; encher pratinhos de vasos com areia até a borda ou lavá-los uma vez por semana e fazer sempre a manutenção de piscinas.

Além disso, é importante trocar água dos vasos e plantas aquáticas uma vez por semana; colocar lixos em sacos plásticos em lixeiras fechadas; fechar bem os sacos de lixo e não deixar ao alcance de animais; manter garrafas de vidro e latinhas de boca para baixo; tampar ralos; catar sacos plásticos e lixo do quintal, entre outras medidas que impeçam o acúmulo de água e de sujeiras.

Vale lembrar que o primeiro sintoma da Dengue é a febre alta, entre 39° e 40°C. Tem início repentino e geralmente dura de 2 a 7 dias, acompanhada de dor de cabeça, dores no corpo e articulações, prostração, fraqueza, dor atrás dos olhos, erupção e coceira no corpo. Pode haver perda de peso, náuseas e vômitos. Em casos mais graves da doença ocorrem desidratação grave, sem a pessoa perceba, ou até mesmo evolução do quadro para Dengue Hemorrágica, em que acontece com alterações da coagulação sanguínea, sendo mais incidente em pessoas que contraem Dengue pela segunda. 

Já a Chikungunya causa sintomas como febre alta, dor muscular e nas articulações, dor de cabeça e exantema (erupção na pele). Os sinais costumam durar de 3 a 10 dias. Os casos mais graves da doença podem levar a inflamações no sistema neurológico e, consequentemente, ao desencadeamento de outras doenças como Parkinson. 

As mobilizações da SES-GO também foram realizadas em Silvânia, Valparaíso de Goiás, Caldas Novas, Luziânia, Cristianópolis, São Miguel do Passa Quatro, Piracanjuba, Brasília e Goiânia.  A campanha envolve distribuição de bombas costais motorizadas e manutenção das que já estavam em uso, além da distribuição dos inseticidas. 

Veja Também