BRT Norte-Sul: obras se arrastam por sete anos, sem previsão de conclusão total

Postado em: 20-04-2022 às 08h26
Por: Redação
Prefeitura anunciou que obras da Praça Cívica, que já foram adiadas outras vezes, serão concluídas até o final deste mês | Foto: Pedro Pinheiro

Por Ítallo Antkiewicz

Em fase final, as obras do Bus Rapid Transit (BRT) na região da Praça Cívica devem ser entregues ainda neste mês, segundo a previsão feita pelo prefeito Rogério Cruz, nesta segunda-feira (18), durante a prestação de contas da Prefeitura aos vereadores na Câmara Municipal. No local, máquinas, betoneiras e operários trabalhavam ontem (19). Como a entrega da obra já foi adiada outras vezes, é necessário aguardar para ver se a Prefeitura vai cumprir com a promessa. Já a estação de embarque e desembarque deverá ser entregue somente em setembro.

A equipe de reportagem do jornal O Hoje percorreu a Avenida 84, no trecho entre as praças Cívica e do Cruzeiro. Entretanto, não foi constatada a presença nem de máquina e nem de operários trabalhando nas obras da plataforma de embarque e desembarque da avenida e nem na Praça do Cruzeiro. A Prefeitura não informou quando serão concluídas as obras da Praça.

Antônio Silva Andrade, 49 anos, que tem um comércio em frente à Praça Cívica,  afirma que as obras ficaram paradas por um bom tempo. “Essas obras ficaram largadas por muito tempo, sem funcionário algum no local, o que deixou o trânsito uma verdadeira bagunça para a população e comerciantes locais. Depois de meses, tudo parado, agora voltaram a trabalhar, com a promessa de ser entregue tudo concluído até o final deste mês”.

Segundo Antônio, as obras inacabáveis, já deveriam estar prontas há muito tempo. “Essas obras causaram muitos transtornos. Parece que nunca vai ter fim. O trânsito no anel externo da Praça Cívica, que segue aberto para o fluxo de veículos particulares e ônibus do transporte coletivo, varia entre dias tranquilos e outros de muita confusão”, explica o comerciante.

A aposentada Maria da Conceição, 62 anos, ressalta que não vê a hora dessas obras do BRT ficarem prontas. “Há vários anos essa demora nessas obras, sempre deixa o trânsito uma calamidade total. Sempre com a promessa de ficar pronto, e nunca são finalizadas de vez. Os trabalhadores começam a trabalhar num dia, no outro não tem ninguém, depois voltam a trabalhar novamente”.

De acordo com a aposentada, desde quando começaram mexer no trecho da Praça Cívica, deixaram sem sinalização. “Ficamos sem placas de sinalização, faixa de pedestre apagada, nós pedestres sentimos inseguros de passar pelo local”, ressalta. A reportagem de O Hoje constatou a dificuldade dos pedestres para atravessar a Avenida 82, que contorna a Praça Cívica, sem sinalização e faixas de pedestres.

O secretário municipal de Infraestrutura Urbana (Seinfra), Everton Sérgio Schmaltz, afirmou que a conclusão completa, com as plataformas de embarque e desembarque, deve ocorrer no final de setembro deste ano. 

“O único problema no momento é a questão da empresa que estava executando esse trabalho e pediu o cancelamento do contrato. Infelizmente teremos que aguardar o distrato para que possamos fazer uma nova licitação e a chuva que estava impactando o pavimento do anel interno da Praça Cívica”, explicou o secretário ao justificar o atraso na conclusão das obras do BRT no trecho Norte-Sul.

De acordo com o titular da Seinfra, depois da conclusão da pavimentação do anel externo, foi possível avançar de 60% a 70% na parte interna da Avenida 82, que será de tráfego exclusivo para veículos do transporte coletivo da Região Metropolitana.

De acordo com o secretário, assim que o pavimento ficar pronto, o trânsito do anel externo da Avenida 82 deve melhorar. “Sobre o fato de não haver trânsito de ônibus na parte concluída da pista da Avenida 84, entre a Praça Cívica e a Praça do Cruzeiro”, afirma.

O titular da Seinfra afirmou ainda que é preciso utilizar veículos maiores para acessar as plataformas, que são altas para os modelos convencionais do transporte coletivo. “Os ônibus são pequenos e suas portas ficam do lado direito. O embarque e desembarque nas plataformas são altos e feitos pela esquerda dos veículos.”

Atrasos na conclusão das obras do BRT são recorrentes

Lançada em 2015 e com previsão de 20 meses de duração, a obra do BRT em Goiânia continua sem conclusão mesmo após quase sete anos.  Durante este período, a construção do corredor de ônibus foi interrompida e retomada várias vezes.

A ideia inicial do projeto era ligar as regiões Norte e Sul de Goiânia, mas ainda hoje é possível ver trechos de obras sem conclusão, causando transtornos à população. Entre os anos de 2017 e 2018, a obra ficou parada por quase um ano, devido a problemas de pagamento por parte da administração municipal. Com isso, o repasse do governo federal destinado à obra foi bloqueado. Após a retomada das obras, novos prazos foram repassados para a conclusão da obra do corredor de ônibus, sendo 2019, 2020, 2022, e agora, em 2023.

O BRT Norte-Sul tem extensão de 21,7 km e foi dividido nesses dois trechos: o trecho I, do Terminal Isidória até o Terminal Cruzeiro do Sul, em Aparecida de Goiânia; e o trecho II, do Terminal Recanto do Bosque, na região Norte da cidade, passando pela Praça do Trabalhador, Praça Cívica, Praça do Cruzeiro e chegando até o Terminal Isidória, na região Sul de Goiânia.

Relembre

A data inicial de conclusão da edificação do trecho não foi cumprida. No dia 27 de outubro de 2021, a Seinfra informou que o período chuvoso deixou o terreno muito úmido, o que atrapalhou o andamento da obra. A nova previsão era para que em meados de novembro a construção fosse concluída na Praça Cívica. Agora somente em abril ou maio de 2022 toda a obra estará pronta, o que inclui as plataformas de embarque e desembarque.

De acordo com engenheiro Gideon de Paula, do Consórcio BRT Goiânia, responsável pela obra do BRT Norte-Sul, as chuvas deixaram o solo muito úmido, o que impede um andamento mais ágil da construção no anel interno da Praça Cívica. “Ainda não temos previsão de conclusão da obra. Essa semana choveu. Medimos a taxa de umidade do material, infelizmente está muito molhado, não dá para retornar a obra”, afirmou o engenheiro no início do ano.

De acordo com Gideon, há trechos no canteiro de obras da Avenida 82, em que ainda não é possível retomar a construção da pista. “Em alguns pontos, a umidade ainda está alta.” Na época, o engenheiro preferiu não dar qualquer previsão de entrega do anel interno da Praça Cívica, o que ficou a cargo da Seinfra.

Gideon disse, assim como o titular da Seinfra, que só depois do fim das chuvas é possível dar ritmo mais acelerado à conclusão do trecho. “Estamos fazendo bocas de lobo, travessias semafóricas, um lombo faixa em frente ao Palácio Pedro Ludovico e a selagem do pavimento.”

Compartilhe: