Crimes de abuso sexual e pornografia infantil deixam sequelas para a vida toda

Pessoas que praticam esses crimes sofrem de um Transtorno Psiquiátrico, explica psicanalista.

Postado em: 25-04-2022 às 09h19
Por: Redação
Pessoas que praticam esses crimes sofrem de um Transtorno Psiquiátrico, explica psicanalista | Foto: Reprodução

Por Daniell Alves

Os crimes relacionados a abuso sexual e pornografia infantil têm sido recorrentes no Estado. Mais de 50 pessoas foram presas em Goiás, nos últimos quatro anos, por crimes deste tipo, aponta a Polícia Civil de Goiás (PC-GO). As vítimas podem ficar com

sequelas para o resto da vida, aponta especialista. Na última semana, a Delegacia Estadual de Repressão a Crimes Cibernéticos (DERCC) cumpriu mandado de busca e apreensão em uma residência no Setor Jardim Itaipu, em Goiânia.

Continua após a publicidade

No local, as investigações apontavam como sendo a residência de indivíduo contumaz na prática do crime previsto no Estatuto da Criança e do Adolescente: adquirir, possuir ou armazenar, por qualquer meio, fotografia, vídeo ou outra forma de registro que contenha cena de sexo explícito ou pornográfica envolvendo criança ou adolescente. A pena máxima pode chegar a quatro anos de reclusão e multa. O mandado foi cumprido no bojo da Operação Infância Segura.

De acordo com a PC, foram apreendidos diversos equipamentos de informática, tais como computadores, aparelhos celulares e mídias de armazenamento, os quais serão analisados pelos policiais civis. As investigações prosseguem no sentido de identificar se o autor também não atua na distribuição ou transmissão do conteúdo pornográfico.

Também na última semana, a PC, por meio da Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher (Deam) de Formosa, prendeu em Pedro Rodrigues pelo crime de pedofilia, previsto no Estatuto da Criança e do Adolescente. Conforme ficou apurado nas investigações, o autor Pedro, de 54 anos, manteve conversas de cunho sexual com uma criança de apenas 12 anos. 

Nessas conversas, ele enviou fotos íntimas, além de vídeos com conteúdo sexual.

A genitora da vítima compareceu na delegacia para registrar ocorrência, momento em que os policiais civis passaram a monitorar o suposto autor. Os investigadores descobriram que Pedro morava em Planaltina de Goiás e trabalhava como feirante.

Diante dos fatos, os policiais civis foram ao local de trabalho do investigado, momento em que o localizaram e o prenderam em flagrante delito. Pedro Rodrigues confessou a prática delitiva, bem como autorizou os policiais a terem acesso ao celular, por meio do qual ficou comprovada a prática delitiva. O autor foi preso em flagrante pelo crime cuja pena de reclusão é de até 3 anos.

A divulgação da imagem e qualificação do preso foi procedida nos termos da Lei nº 13.869/2019 e da Portaria nº 547/2021 – PC, conforme despacho do delegado responsável pelo inquérito policial. Segundo aponta, a publicação de suas imagens possa auxiliar no surgimento de novas vítimas e testemunhas que façam seu reconhecimento, além de novas provas.

Zeloso Guardador

Em 2021, outras quatros pessoas foram presas suspeitas de compartilharem pornografia infantil na internet. A ação ocorreu durante a Operação Zeloso Guardador, da Delegacia Estadual de Repressão a Crimes Cibernéticos (DERCC). Foram cumpridos 11 mandados judiciais de busca e apreensão domiciliares, em 10 cidades do Estado. 

O objetivo foi identificar criminosos que armazenam imagens de exploração sexual infantil, compartilhadas pela internet. Os mandados foram cumpridos em Aparecida de Goiânia, Cidade Ocidental, Goiatuba, Hidrolândia, Jataí, Minaçu, Pires do Rio, Rubiataba, São Luiz dos Montes Belos e Valparaíso de Goiás, locais em que foram identificados usuários de internet que, através de softwares específicos, teriam enviado e recebido vídeos contendo abuso sexual infantil. O cumprimento dos mandados teve apoio das delegacias locais de cada cidade.

A medida integrou 5ª etapa da Operação Meu Zeloso Guardador. Iniciada em 2018, já cumpriu o total de 104 mandados de busca e apreensão, em 32 cidades goianas, e resultaram na prisão em flagrante delito de mais de 50 pessoas, presas em razão da posse e compartilhamento de arquivos contendo imagens de exploração sexual infantil.

“Para realização da Operação Meu Zeloso Guardador V, foram empreendidas diversas diligências, com utilização de ferramenta própria para investigações em ambiente cibernético, após treinamento oferecido pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública (SENASP e CIBERLAB), em conjunto com a HSI – Homeland Security Investigation”, esclareceu a delegada Sabrina Leles, titular da DERCC.

Seis crianças 

Já em setembro daquele mesmo ano, um pastor foi preso em Itaberaí suspeito de estuprar seis crianças na cidade. Trata-se de Willian de Sousa Adriel, 53, que foi localizado na própria residência. 

A PC autorizou a divulgação do nome e imagem do detido para que eventuais outras vítimas o reconheçam. De acordo com o delegado Kristian Felipe da Rosa, os supostos abusos tiveram início ainda nos anos 2000 e foram sendo praticados ao longo da década. As vítimas tinham entre três e quatro anos na época.

Veja Também