Polícia apreende líderes de grupo que usavam drones para levar drogas a presídios

Postado em: 20-05-2022 às 16h05
Por: Victória Vieira
A Draco, identificou mais de 30 integrantes que participavam de um esquema relacionados a serviço de entrega de drogas e celulares | Foto: Divulgação/ Polícia Civil

Dois mandatos de prisões temporárias e quatro mandados de busca e apreensão foram cumpridos nesta sexta-feira (20/5), nos municípios de Goiânia e Aparecida de Goiânia. A Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas, Draco, identificou mais de 30 integrantes participavam de um esquema relacionados a serviço de entrega de drogas e celulares, dentro da Casa de Prisão Provisória, em Aparecida de Goiânia, através de drones, custando entre de R$ 5 mil a R$ 50 mil. Os investigadores prenderam apenas dois participantes do grupo.

A investigação foi dividia em duas partes e havia inciado há nove meses atrás, recebendo o nome de Operação V.A.N.T. Ao todo, foram 43 mandatos, em nove cidades de Goiás. Os pedidos são feito pelos detentos e de acordo com dados apresentados no inquérito policial, no ano passado, foram registrados 85 atividades de drones nos arredores do presídio de Aparecida de Goiânia, em contraste aos sete registros no ano de 2020.

No esquema, cada integrante havia uma função, ou seja, havia operadores financeiros, instrutores e pilotos de drones, além de auxiliares. A polícia apreendeu entorpecentes, aparelhos celulares, chips e carregadores.

Itens apreendidos pela Policia Civil na Operação V.A.N.T | Foto: Divulgação/ Policia Civil Go

Os indivíduos apreendidos estão sobre o poder Judiciário e podem ser julgados sobre associação ao tráfico, favorecimento real e principalmente, crimes de tráfico. Essas acusações dão 25 anos de prisão. A conclusão desse processo ainda está em andamento.

Compartilhe: