Gerente de fazenda é denunciado por ato racista após dar “lição” em homem que furtava milhos em Cabeceiras de Goiás

O Ministério Público de Goiás (MP-GO) denunciou o gerente de fazenda Fernando Rosbach pelos crimes de discriminação racial ou procedência nacional, praticado

Postado em: 12-07-2022 às 10h52
Por: Rodrigo Melo
Na denúncia do MP-GO ainda exige aumento de pena por ter sido cometido utilizando meios de comunicação, e porte e disparo de arma de fogo | Foto: Reprodução

O Ministério Público de Goiás (MP-GO) denunciou o gerente de fazenda Fernando Rosbach pelos crimes de discriminação racial ou procedência nacional, praticado em Cabeceiras de Goiás, no Entorno do Distrito Federal. A denúncia foi feita por meio de um vídeo compartilhado pelo próprio gerente, que repercutiu nas redes sociais, em que mostra ele dando uma “lição de moral” em um caminhoneiro que tentava furtar milho. (Veja o vídeo no final)

De acordo com o inquérito policial, no dia 6 de maio deste ano, Fernando Rosbach estava entre o Km 14 e 16, na GO-346, quando praticou o crime. O promotor de Justiça narra que a vítima avistou um milharal e estacionou o veículo e, diante da falta de cercas, decidiu furtar cerca de dez espigas de milho.

Quando o homem ia guardar as espigas no caminhão, foi surpreendido pelo gerente da fazenda, que deu um tiro para o alto e começou a gritar ofensas por sua origem de nascimento, aproveitando para filmar as atitudes da vítima, enquanto continuava a praticar a discriminação.

Continua após a publicidade

“Motorista ladrão roubando meu milho. Parabéns, cara. O senhor acaba de ser notificado como ladrão. Vou passar para a polícia, mostrar como faz essa ‘goianada’ roubando milho, não tem vergonha na cara, não tem caráter”, disse Fernando no vídeo.

Na denúncia do MP-GO ainda exige aumento de pena por ter sido cometido utilizando meios de comunicação, e porte e disparo de arma de fogo.

Goianos “sem caráter”

Além de chamar o homem que furtava as espigas de ladrão, o gerente da fazenda ainda generalizou os goianos como “sem caráter”. Após isso, Fernando orientou o caminhoneiro a colocar as espigas que ele havia tirado do milharal na carroceria da caminhonete como forma de devolver os itens que seriam furtados.

“Que isso sirva de exemplo para todo mundo. Aqui ‘no’ Goiás tem essa mania de roubar as coisas dos outros, então eu vou educar o pessoal. Nunca mais faça isso, que sirva de exemplo”, completou Fernando, no vídeo.

Repercussão

Fernando foi alvo de críticas depois que o vídeo circulou nas redes sociais. Até mesmo o prefeito da cidade, Everton Matos (PDT), pediu uma retratação. Após o pedido do prefeito, Fernando pediu desculpas na justificativa de que não quis ofender os goianos, mas que estava indignado com a atitude do caminhoneiro e se revoltou.

“Minhas sinceras desculpas. Não era minha intenção jamais falar aquilo de pessoas de bem. Eu estava chateado com o roubo de umas mudas, peguei o cara roubando milho, então não era para ofender a população”, explicou o gerente, na época.

O dono da fazenda Arno Bruno Weis emitiu uma nota também se desculpando. O comunicado informou que o negócio sofre “prejuízos significativos com os exagerados furtos diários de milho”, mas que a declaração infeliz “não representa o respeito e a consideração” da equipe pelo povo goiano. A nota foi assinada também pelo próprio gerente.

A dupla pediu ainda que fossem perdoados pelo ocorrido, que estava “sendo uma lição duríssima”.

Veja o vídeo na íntegra:

Veja Também