Sistemas fotovoltaicos chamam atenção em Goiás; número de instalações é dobrado no primeiro semestre de 2022

Para ter essa energia renovável, o investidor paga a taxa mínima obrigatória cobrada pela operadora de energia por 22 a 27 anos, entretanto, não é possível consumir mais energia do que transmitida pela usina solar, ou seja, o "payback" (sistema do retorno de investimento).

Postado em: 21-07-2022 às 14h26
Por: Victória Vieira
A energia solar fotovoltaica é uma forma mais econômica e benéfica, trazendo cada vez mais a acessibilidade | Foto: Reprodução

No primeiro semestre de 2022, Goiás registrou cerca de 13,2 mil sistemas de energia solar instalados em imóveis residenciais a instituições do Poder Público. Agora, o Estado é o quinto colocado no maior número de instalações e uso de energia sustentável. De acordo com a Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL), são 73 unidades conectadas à rede solar por dia.

A Yellot, empresa goiana de soluções sustentáveis, alega que mais de 82% das instalações foram contabilizadas no começo do ano até junho. São quase 11 mil instalações, ultrapassando os resultados no mesmo período do ano passado.

Para ter essa energia renovável, o investidor paga a taxa mínima obrigatória cobrada pela operadora de energia por 22 a 27 anos, entretanto, não é possível consumir mais energia do que a transmitida pela usina solar.

Continua após a publicidade

“Não há nenhum produto financeiro de baixo risco disponível no mercado com retornos iguais a esses”, informa o diretor executivo da Yellot, Pedro Bouhid.

A energia solar fotovoltaica é uma maneira mais econômica e benéfica, trazendo cada vez mais a acessibilidade.

“Estamos vindo de alguns anos de franco crescimento em energia solar e acreditamos que é algo que veio para ficar e fazer parte do dia a dia dos brasileiros. Há ainda muito o que crescer, principalmente entre estabelecimentos comerciais, indústrias e também no campo”, disse Pedro.

Um dos principais motivos dos números estarem avançando é a popularização da tecnologia. Bouhid destaca que com a conta de energia encarecendo, o receio é gerado nos consumidores com as novas regras de compensação da Geração Distribuída, além de maior conscientização ambiental.

Em relação a desempenho de energia sustentável, Goiás fica atrás somente de São Paulo, Minas Gerais, Rio Grande do Sul e Mato Grosso. No Brasil, o número chega a mais de 267,8 mil sistemas, cerca de 1,48 mil unidades por dia, totalizando 16,41 gigawatts (GW) de capacidade instalada em usinas solares fotovoltaicas.

Veja Também